RDC reforça ataque para vencer Seleção de Angola

A selecção da República Democrática do Congo almeja a primeira vitória na corrida ao CAN-2022. A vítima pode ser Angola, com quem joga nos dias 14 (próximo sábado) e 17 (terça-feira da semana seguinte), para a 3ª e 4ª jornadas do Grupo D de apuramento à competição.

Angola e Congo Democrático vizinhos cujos jogos entre si conservam grande rivalidade © Fotografia por: DR
O seleccionador congolês, Christian Nsengi, tem um discurso vitorioso e aposta forte no ataque, contando com os avançados Cédric Bakambu, Gaël Kakuta e Benik Afobe, ausentes nos amigáveis com o Burkina Faso (0-3) e Marrocos (1-1), no mês passado.Por outro lado, o médio Omenuke Mfulu (autor de 6 golos ao serviço dos espanhóis do Elche), nascido em França, mas com passagem pela selecção congolesa sub-20, é uma das novidades de uma selecção que pretende reverter a tendência de empates nas duas primeiras rondas. Ficam de fora Jackson Muleka (Standard Liège), por lesão, e Yannick Bolasie, que não joga há algum tempo pelo Everton.

Entretanto, Angola também está sedenta de pontos, pois apenas somou derrotas nas duas primeiras partidas. O seleccionador Pedro Gonçalves conta com vinte e seis futebolistas, maioritariamente a evoluírem no estrangeiro, dos quais se destacam os regressos do extremo Geraldo (Al-Ahly, do Egipto) e de Ary Papel (Ismaily, Egipto) . As novidades são o médio Zini (1º de Agosto), Edgar André (Sion, Suíça), Felício João “Nilson” (Marítimo de Portugal) e Valdomiro Lameira “Estrela”. O combinado nacional, depois de duas derrotas frente à Gâmbia (1-3) e Gabão (0-2), ocupa a última posição do grupo. Gambianos e gaboneses lideram a “pool”, com quatro pontos cada, ao passo que os congoleses são terceiro, com dois. Regressos e vulto
Sem surpresa, na lista definitiva do seleccionador camaronês, Antonio Conceição, para o duplo encontro com Moçambique, nos próximos dias 12 16. Dos 24 escolhidos, destaque para estrelas como Eric Maxim Choupo-Moting, Clinton Njie, Christian Bassogog, Vincent Aboubakar e do avançado do Angers, Stéphane Bahoken, todos ausentes no mês passado. Entre os dispensados estão Ahmad Ngouyamsa (Dijon), Stéphane Zobo (Toulouse) e o avançado Eric Ayuk (Osmanlispor). Como país organizador, os Camarões já estão qualificados para o evento.

Simon lesionado
O extremo do Nantes, Moses Simon, tem uma lesão nos adutores e vai esperar por algumas semanas para voltar aos relvados. Na segunda-feira a federação nigeriana anunciou que o jogador, inicialmente convocado pelo técnico Gernot Rohr, está afastado do grupo que vai defrontar a Serra Leoa, nos dias 13 e 17. Para colmatar a ausência extremo, foi convocado Paul Onuachu (Genk). Entretanto, prevê-se que Simon volte a campo diante do Metz, no próximo dia 22.

Mali sem Marega
Co-líder do Grupo A com a Guiné Conacri, o Mali defronta a Namíbia também nos dias 13 e 17. Devido às restrições de viagens, fruto da pandemia do Covid-19, o seleccionador Mohamed Magassouba preferiu convocar um grupo maior, mas salta a vista a ausência dos avançados Moussa Marega (FC Porto) e Abdoulaye Diaby (Getafe), dois casos que sobre os quais se aguardam explicações de Magassouba. Com bom desempenho no Al Ahly, o médio Aliou Dieng é uma das recentes apostas do técnico, que para o sector conta ainda com Diadie Samassekou e Amadou Haïdara. Conta ainda com os defesas Hamari Traoré, Molla Wagué e com o avançado El-Bilal Touré.

  • Adicione seu comentário