Costa Vilola recorda sua trajectória sofrida rumo ao sucesso: ‘trabalhava na obra no Benfica’

O humorista Costa Vilola, também conhecido pelo seu personagem “General Foge à Tempo”, recordou nesta sexta-feira (31) de Julho, o tempo em que dava passos largos para a construção da sua carreira, citou as dificuldades que passou e faz paralelismo com as conquistas alcançadas até o momento. No final, deixou conselhos para os seus seguidores, encorajando-os a trabalhar com determinação.

Humorista Costa Vilola

Humorista Costa Vilola

Costa Vilola revelou que 2004 foi um dos anos mais difíceis por que na altura tinha que conciliar os estudos ao trabalho e à sua paixão – o mundo das actuações. Segundo o humorista, o desafio não era tão fácil numa época em que não dispunha de um meio de transporte próprio, e que muitas vezes dependia da solidariedade de um colega.

De 2004 já era actor mas vivia dos lucros da pedreira, e estudava no Colégio Albino, acordava às 5:00 saía da Chicala 1 a pé, ia até a mutamba ali junto à Lusíada, e ia trabalhar até ao bairro Benfica na obra, largava as 17:00 voltava a sair a pé do interior do bairro Benfica, até a praça do artesanato, e apanhava o autocarro e descia na Samba, ia pra escola (colégio Albino) estudava até as 22:00, voltava à estrada principal para apanhar o candongueiro, e as vezes tinha um colega já falecido Tio Tomas Rafael, que me dava uma boleia para voltar à casa.

Aos fins de semana íamos ensaiar no teatro, ali no fundo da ilha de Luanda, e muitas das vezes também saía da Chicala 1 até ao local de ensaios a pé, ou apanhava boleia de um colega que já tinha carro”, escreveu.

As vitórias que hoje o humorista soma, são resultados da sua ambição, e como detalha o artista, sua inserção no grupo “Tuneza”, foi uma das melhores escolhas feita na sua vida.

“E em 2020 estou aqui o Arrogante, o Humorista Angolano mais premiado do país, mas estas vitórias todas não as alcancei sozinho, tive que fazer as melhores escolhas na minha vida, e uma das melhores escolhas foi quando me juntei aos meus 4 colegas, que tinham a mesma ambição e vontade que eu, formamos um Quinteto de humor que graças à Deus, até hoje continuamos a lutar, para o bem de todos”, recordou Costa que é hoje o humorista mais premiado de Angola.

Lembre-se que Costa Vilola foi o vencedor da 23ª edição do Moda Luanda 2020 na categoria de “Melhor Actor Comédia 2019”. Protagonista no programa televisivo de humor nacional “No Cubico dos Tuneza”, Costa apresenta-se nas vestes de um antigo combatente Filipe Manuel, que luta pela recepção do seu salário de 23 mil kwanzas, proporcionando assim momentos de diversão numa série exibida todos os domingos, as 21h no canal ZAP Viva.

    1. this page 4 Agosto 2020

    Adicione seu comentário