Kelson Most Wanted: “Precisamos fazer música para influenciar pessoas a fazerem o bem”

 

“O artista tem que zelar pela sua postura na sociedade”

A decisão do primeiro passo é quase sempre das mais difíceis de se tomar, uma vez ele dado, é provável que todo o percurso a seguir seja de forma fluente. É bem assim que aconteceu com um dos melhores rappers da new school, Kelson Most Wanted. O rapper contou um pouco em entrevista sobre a sua trajectória de cerca de 15 anos de música.

“O primeiro passo é sempre mais difícil, há muita gente a tentar fazer com que ele não aconteça. No meu caso, foi a família, mas sempre tive muita convicção sobre aquilo que quis, então, segui em frente e dei o primeiro passo, e se não desse, não chegaria ao auge.”

Com muitos bons momentos vividos ao longo da carreira que está a ser construída, o rapper destaca o lançamento do seu primeiro álbum de sucesso “Ronny B Forever”, lançado em Fevereiro de 2020, e igualmente o primeiro álbum “Melhor União”, da sua label TRX Music, em 2018.

Kelson continuou ao dizer que o maior obstáculo que ele e seus colegas enfrentaram enquanto TRX ao longo da carreira foi a resistência da aceitação dos seus trabalhos ligados à música. “No princípio, quando começamos a fazer a nossa música, fomos olhados com um pouco de discriminação por se tratar de um conteúdo que, na altura, não era feito em Angola, mas ao longo dos anos, o estilo popularizou-se e as pessoas que criticavam também passaram a fazer.” Na base desta resitência, no que concerne à aceitação das suas músicas, o rapper destaca a importação de um estilo que nada tinha a ver com a realidade angolana, importado das américas, mas que felizmente é hoje aceite e reconhecido.

O rapper cita, ainda, nomes conhecidos do Rap da Old School como: Kalibrados, Army Squad, Força Suprema, Abdiel e outros como os mentores da aceitação do Rap ao longo destes anos de actuação. “Na música, além do sucesso que naturalmente é importante, o posicionamento do artista é o que dita as lendas que fizeram sucesso e vão embora. Acho que o posicionamento de um artista é que determina a interação, o respeito dos fãs e a sua durabilidade no music hall. É muito importante que os cantores ofereçam além da música um conceito, o artista tem de ser conceitual, é um influenciador, mas numa escala muito grande, pois através da música, a palavra de um artista pode chegar aos quatro cantos do mundo. Precisamos fazer música para influenciar pessoas a fazerem o bem.”

Questionado se já atingiu o auge da sua carreira em Angola, Most Wanted diz: “Ainda não. O mercado angolano está em constante crescimento, quando se pensa que se atingiu o máximo, surge sempre algum passo novo, as minhas metas vão mudando e aumentando, não estou confortável com aquilo que consegui, quero muito mais.”

Sobre o egocentrismo de alguns rappers, Kelson alerta que é preciso ter cuidado para não passar de uma característica para um defeito.

“O egocentrismo é uma característica de algumas pessoas, mas que deve ser controlado para que não venha a ser uma defeito”, no entanto, cantor apoia o posicionamento perante outros artistas, a indústria, aparições. “O artista tem que zelar pela sua postura na sociedade e ser exemplar.”

  • Adicione seu comentário