Trump dá 45 dias à Microsoft para fechar aquisição da rede social chinesa Tik Tok

Microsoft anunciou no domingo que vai prosseguir diálogo com a dona do Tik Tok, depois de o presidente executivo da tecnológica, Satya Nadella, ter reunido com Trump. Na sexta-feira, o presidente dos EUA tinha anunciado a intenção de proibir o uso do Tik Tok nos Estados Unidos.

Um grupo de investidores da chinesa ByteDance (empresa-mãe do TikTok), querem assumir o controlo da aplicação e avaliaram a rede social em 50 mil milhões de dólares (cerca de 42,5 mil milhões de euros), significativamente mais do que concorrentes como o ‘Snapchat’, avançaram fontes à “Reuters”.

A Microsoft vai continuar as conversações para a possível aquisição da rede social chinesa Tik Tok nos Estados Unidos, segundo um comunicado divulgado no domingo. De acordo com a Reuters, o diálogo avança após o aval do presidente dos EUA, Donald Trump, que deu 45 dias à empresa fundada por Bill Gates e Paul Allen para chegar a um acordo. A Microsoft prometeu concluir todo o processo até setembro.

“A Microsoft vai avançar rapidamente para continuar as discussões com a empresa-mãe do TikTok, ByteDance, numa questão de semanas, e em qualquer caso completar estas conversações o mais tardar até 15 de setembro de 2020”, lê-se no comunicado da empresa norte-americana.

A decisão da Microsoft foi anunciada depois de o presidente executivo da tecnológica, Satya Nadella, ter reunido com Trump. Na sexta-feira, o presidente dos EUA tinha anunciado a intenção de proibir o uso do Tik Tok nos Estados Unidos.

De acordo com a agência Reuters, a autorização de Trump para que Nadella continue em conversações com a ByteDance para adquirir a rede social Tik Tok nos EUA, representa uma reviravolta em todo o processo, uma vez que a administração Trump considera que as empresas tecnológicas chinesas constituem um risco à segurança nacional norte-americana.

Devido à desconfiança de Donald Trump sobre as práticas das empresas chinesas, que tem contribuído para a degradação das relações entre Washington e Pequim, o negócio de aquisição da rede social Tik Tok nos EUA pela Microsoft tem sido acompanhado de perto.

Há na legislação norte-americana leis que permitem ao presidente dos EUA bloquear negociações ou transações de ativos entre empresas ou congelar bens, caso acredite que exista uma “ameaça invulgar e extraordinária” para a segurança nacional ou para a economia norte-americana.

Para já, o diálogo entre a Microsoft e a ByteDance tem por base uma proposta preliminar, que já foi comunicada ao Comité de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos. Em causa está a aquisição do serviço da TikTok pela Microsoft nos Estados Unidos, bem como no Canadá, na Austrália e na Nova Zelândia.

Caso o negócio se concretize, a Microsoft poderá entrar numa corrida direta com a Facebook, que detém as redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp. A rede social Tik Tok conta com 100 milhões de utilizadores só nos EUA. A Microsoft também detém a rede social LinkedIn.

  • Adicione seu comentário