Biura: “O dinheiro é bom, mas está longe de ser tudo”

Recentemente, o músico Biura foi mencionado em um leque de artistas angolanos que estão a fazer sucesso, porém, a perder dinheiro em função da ausência de shows, derivada pela pandemia da Covid-19. Lisonjeado pelo facto de o seu nome constar na lista composta por: Anna Joyce, Preto Show, Titica, Konstantino e Dada 2, o autor de “Talismã” fez uma reflexão nas redes sociais relativamente ao assunto.

“Somos ínfimos na imensidão que é o tempo. O tempo das coisas e da vida. Estou extremamente feliz por as pessoas se terem identificado com a música (Talismã). O dinheiro é bom, mas está longe de ser tudo. Cada elogio, cada post, cada menção é mágico!” Escreveu.

Entretanto, em entrevista, Biura fez saber que, quando criou a música, não tinha noção do impacto e da longevidade da pandemia. “Quando somos profissionais, esperamos obter os lucros como qualquer artista que trabalha com dedicação e afinco na sua arte, porém, também tenho noção que no tempo de confinamento e no auge da pandemia, a música foi dos maiores escapes para todos”, disse.

O artista da Clé Entertainment frisou, ainda, que as maiores manifestações que recebeu foram o carinho e a cumplicidade dos fãs que enviam frequentemente vídeos a cantar o sucesso “Talismã”, além do facto de ter em agenda concertos acústicos, num formato online, adaptado à nova realidade.

  • Adicione seu comentário