AngolaDestaqueSaúde

FALTA DE TÉCNICOS IMPEDE FUNCIONAMENTO DE SERVIÇOS NA MATERNIDADE

Os serviços de mamografia, raio X, cuidados intensivos e neonatalogia da maternidade provincial do Moxico, inaugurados em 2015, encontram-se paralisados por falta de especialistas, informou, quarta-feira, a directora da unidade hospitalar, Irondina Júlio.
Falta de técnicos impede funcionamento de serviços na Maternidade
FALTA DE TÉCNICOS IMPEDE FUNCIONAMENTO DE SERVIÇOS NA MATERNIDADE
Maternidade

A responsável falava à Angop, na sequência das visitas de constatação às instituições do sector da saúde na província pelos membros do secretariado executivo do comité provincial do MPLA.

Explicou que as referidas áreas estão equipadas com tecnologia de última geração, necessitando apenas de recursos humanos para o seu manuseamento.

A também médica ginecologista obstetra informou que a unidade hospitalar, que conta actualmente com oito médicos, necessita de 21 técnicos especializados, entre médicos e enfermeiros para o arranque das secções paralisadas.

Com 130 camas para internamento, a maternidade provincial atende, diariamente, em consultas pré–natais uma média de 80 a 100 gestantes e, no banco de urgência, 40 a 50 pacientes.

A malária, gestação utópica, ameaças de abortos, quistos e miomas uterinos são as patologias mais frequentes entre as pacientes gestantes e não gestantes.

Já o Centro Regional Leste de Reabilitação Física debate–se com problemas de energia eléctrica e material gastável, informou o director da instituição, Nilton Baio.

Explicou que, por falta de energia, o centro reduziu a sua capacidade de atendimento diário de 20 pacientes em ortoprotesia para 16 e a produção das próteses de 16 para quatro, por insuficiência de equipamento técnico.

O responsável lamentou, também, a falta de um espaço para acomodação dos pacientes provenientes das províncias da Lunda Sul e Lunda Norte, o que retira o carácter de um centro regional.

Fez saber que, desde a sua reinauguração, há três meses, o centro regista muita procura de pacientes oriundos das províncias do Bié, Lunda Sul e Norte.

O secretário para a Informação do Comité Provincial do MPLA, José Januário Mateus, disse que o seu partido vai interagir com o governo no sentido de ultrapassar algumas dificuldades constatadas nas unidades sanitárias da província.

Sapo com Angop

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button