Angola

Justificadas razões de José Eduardo dos Santos viajar pela TAP

As motivações que levaram o ex- Presidente da Republica, José Eduardo dos Santos a viajar recentemente na TAP em detrimento da companhia de bandeira nacional TAAG, foram pela primeira vez explicadas por um membro da família Bento dos Santos “Kangamba” aos microfones do programa “Angola fala só” da VOA, garantindo ter sido apenas “problema de horários de ligação com Barcelona”.

Fonte: Club-k.net

Justificadas razões de José Eduardo dos Santos viajar pela TAP
Justificadas razões de José Eduardo dos Santos viajar pela TAP

De acordo com as explicações de Kangamba, o ex-Chefe de Estado teve como preferência sair numa terça-feira e de seguida fazer voo de ligação para Barcelona, neste mesmo dia, e a TAP era a única operadora aérea que oferecia este itinerário tendo em conta que a TAAG, segundo disse, não oferecia para este dia voo com saída de manha e chegada a tarde a Lisboa.

O general minimizou também as recentes notícias de uma cisão aberta entre José Eduardo dos Santos e João Lourenço depois do ex-presidente se ter recusado a viajar para Barcelona na companhia aérea angolana ou em transporte presidencial apesar de um apelo pessoal do actual Presidente.

Numa decisão sem precedentes, o anterior Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, recusou qualquer tipo de apoio logístico do Estado angolano na viagem que a Espanha, onde foi submeter-se a exames médicos. O ex-chefe de Estado embarcou num avião comercial da TAP, com destino a Lisboa, onde fará uma curta escala antes de seguir para Espanha.

José Eduardo dos Santos, segundo o Jornal Expresso, solicitou à companhia aérea portuguesa reserva para 18 pessoas, entre funcionários do seu gabinete e membros da segurança, que permanecerão no país vizinho durante o tempo em que decorrerem os exames médicos.

 

O atual Presidente, João Lourenço, ficou embaraçado com a situação e chegou a deslocar-se à residência de Eduardo dos Santos em Miramar.Não conseguiu, no entanto, demover o seu antecessor, que não saía de Angola desde outubro de 2017.

 

A decisão de José Eduardo dos Santos é vista como uma resposta a uma alegada perseguição de que considera estar a ser vítima por parte do seu sucessor. “O homem está profundamente magoado”, disse ao Expresso uma fonte próxima do ex-Presidente que pediu para não ser identificada.

Para o general Bento Kangamba, Eduardo dos Santos não é presidente e “tem a sua vida normal (…) Se ele quiser ir na TAP ou noutro meio a decisão é sua como cidadão”, afirmou.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button