AngolaDestaque

Milhares de cidadãos no país vivem em condições precárias

Pelo menos 50 mil pessoas, entre crianças, idosos e portadores de deficiência,vivem em situação de vulnerabilidade e com necessidades de intervenção do Estado e parceiros sociais em todo o país, afirmou ontem, na cidade do Dondo, a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Milhares de cidadãos no país vivem em condições precárias
Milhares de cidadãos no país vivem em condições precárias

Faustina Alves mostrou-se preocupada com o surgimento de episódios de violência doméstica no seio das famílias
Fotografia: Marcelo Manuel | Cuanza

Faustina Alves, que falava durante a abertura do segundo Conselho Consultivo do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, que decorre até hoje no município de Cambambe, província do Cuanza-Norte, afirmou que os dados apresentados correspondem a um total de 15 pessoas por agregado familiar e foram diagnosticados durante o primeiro trimestre deste ano, através do Sistema de Informação e Gestão da Acção Social.
A par do levantamento das pessoas vulneráveis, a responsável declarou que o departamento ministerial que dirige prestou assistência social a cerca de 24.196 pessoas, em todo o país, e protecção a 8.718 crianças carentes, em 104 instituições de acolhimento.Os cidadãos com deficiência representam 2,5 por cento da população geral no país, perfazendo um total de 656.258, dos quais 293 receberam meios de locomoção e ajuda técnica, durante os primeiros três meses deste ano.
Faustina Alves também confirmou que o sector que dirige apoiou e protegeu 2.233 velhos, destes 878 foram direccionados para 18 lares, localizados em 11 das 18 províncias do país.
Sublinhou ainda que as famílias afectadas por calamidades naturais constituem um grupo de referência de intervenção do Estado. A ajuda no decurso deste ano vai abranger mais de 6 mil cidadãos com bens alimentares e outros não perecíveis, como chapas de zinco e cobertores.
A província do Cunene é das que mais sofre com o impacto da seca, enquanto a de Benguela se depara com problemas de fortes chuvas, facto que obriga o Executivo a continuar a unir esforços para mitigar as dificuldades e encontrar os melhores caminhos para a solução dos problemas que afectam as populações, através de soluções sustentáveis e duradouras, segundo a ministra.
Com o objectivo de aproximar os serviços junto das comunidades, a ministra anunciou que está em execução o programa de municipalização da acção social, elaborado com o propósito de responder às preocupações e prioridades dos grupos vulneráveis, através de projectos assentes em actividades de empreendedorismo.
Faustina Alves mostrou-se preocupada com o surgimento de episódios de violência doméstica no seio das famílias, acrescentando que os mesmos devem ser ultrapassados com a promoção do amor ao próximo, incentivo ao diálogo e desencorajamento de práticas nocivas no seio das comunidades.
O governador do Cuanza-Norte, Adriano Mendes de Carvalho, mostrou-se preocupado com a situação da fuga à paternidade, prostituição infantil e elevado índice de HIV a nível da região, salientando que o Governo local trabalha na melhoria do fornecimento de água potável, energia eléctrica e maior prestação de serviços nos sectores da Saúde, Educação e saneamento básico.
A nível das diversas comunidades da região, decorrem serviços de melhoria de acesso às principais zonas de cultivo, com o propósito de garantir o aumento da produção agrícola e viabilizar o escoamento dos produtos, visando o aumento do rendimento familiar, disse Adriano Mendes de Carvalho, que falou da importância do emponderamento da mulher na luta contra o analfabetismo, combate à pobreza e da necessidade de esta franja da população ocupar cargos de destaque a nível das instituições do Estado.
O II Conselho Consultivo do Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher decorre na vila do Dondo, município de Cambambe, sob o lema “Acção Social: Um compromisso com a Nação”.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button