Angola

O comandante Aristófanes não foi um espelho de virtudes – Ilidio Manuel

O comandante da Polícia na Lunda Norte desmentiu as informações postas a circular recentemente pelo portal electrónico Club-K segundo as quais ele teria desviado vários bens da corporação que estavam à sua guarda. Aristófanes dos Santos alega, em sua defesa, que não fora contactado para o devido contraditório. Diz o oficial da polícia que o bom Jornalismo faz-se com a VERDADE e com base no CONTRADITÓRIO. Tem razão, está no seu direito.

“GINDUNGO NO OLHO DO OUTRO”

À memória vieram-me imagens deste oficial da PN quando, há uns anos, exercia as funções de Porta-Voz da corporação e nessa qualidade prestava informações sobre as manifestações do protesto protagonizadas, sobretudo pelos jovens «Revús».

As informações que ele prestava à imprensa no rescaldo das manifestações correspondiam à VERDADE? Reportava a realidade no terreno, dava a conhecer os casos de violência e excessos da polícia contra os jovens manifestantes, ou limitava-se a apelidá-los de bandos de Arruaceiros? Falava dos Kaenches, uma espécie de milícias que eram usadas para agredir os manifestantes?

Se o Club-K prestou um Mau serviço ao jornalismo, Aristófanes dos Santos tem o direito de defender o seu bom nome e reputação mas, verdade seja dita, não tem lições a dar aos jornalistas porque ele, na pele de comunicólogo, não foi um espelho de virtudes.

O comandante Aristófanes não foi um espelho de virtudes - Ilidio Manuel
O comandante Aristófanes não foi um espelho de virtudes – Ilidio Manuel

Fonte: Facebook

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button