Angola

O povo angolano gosta de ver administrador municipais preso, disse Isaac dos Anjos

O secretário do Presidente angolano para o Setor Produtivo considerou hoje que os administradores municipais “são as estrelas que a população mais gosta de ver na cadeia”, exortando-os à realização de concursos públicos com “responsabilidade e transparência”.

Fonte: MPLA

O povo angolano gosta de ver administrador municipais preso, disse Isaac dos Anjos
O povo angolano gosta de ver administrador municipais preso, disse Isaac dos Anjos

“Por favor, abram os concursos públicos, façam publicar nos jornais porque a PGR – Procuradoria-Geral da República – está aí com força, e as cadeias também estão à espera de nós. Somos as estrelas que a população mais gosta de ver detidas, não tenham dúvida disso”, disse hoje, em Luanda, Isaac Maria dos Anjos.

Segundo o governante angolano, que falava num encontro com administradores dos 164 municípios angolanos para avaliação do nível de implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP), “a estrela que o povo quer ver na cadeia são os administradores municipais”.

“Temos de ser corresponsáveis para evitar que vocês vão parar lá no chilindró. Posso defender-vos até onde posso, mas o advogado não pode ficar no lugar do réu”, acrescentou.

Isaac Maria dos Anjos, que falava perante uma sala repleta de administradores municipais, membros do Governo central e vice-governadores, pediu igualmente “responsabilidade e uso racional” das verbas alocadas ao município.

“Peço aos senhores administradores que, para este programa, esqueçam o vosso coração e usem apenas a cabeça, já que não vão conseguir combater a pobreza de toda a gente”, adiantou.

“Mas têm de começar por algum lado. Começar não oferecendo, mas pondo as pessoas a trabalhar e os recursos que estão aí é para pôr as pessoas a trabalhar”, exortou.

O secretário de João Lourenço para o Setor Produtivo recordou que o PIDLCP, aprovado em junho de 2018, é de iniciativa presidencial e “tem objetivos concretos”, daí que, referiu, foi preparado para que cada município, “em função da disponibilidade financeira”, tenha o mesmo valor.

O encontro, que decorreu em Luanda, foi promovido pelo Ministério da Ação Social, Família e Promoção da Mulher e o discurso de abertura foi feito pelo ministro de Estado para o Desenvolvimento Económico e Social angolano, Manuel Nunes Júnior.

Na intervenção, deu conta que o Governo angolano disponibilizou 6.000 milhões de kwanzas (16,4 milhões de euros) aos municípios das 18 províncias do país, de junho de 2018 a abril de 2019, no quadro do PIDLCP, pedindo uma “utilização efetiva dos recursos e reforço da fiscalização”.

O ministro de Estado exortou igualmente os presentes a promoverem, com base na lei, a “abertura imediata de concursos públicos” para a construção de escolas e de outras infraestruturas previstas no Programa de Investimento Público (PIP) e no PIDLCP.

Angola vai realizar em 2020 as primeiras eleições autárquicas, cujo pacote legislativo está em debate na Assembleia Nacional.

 

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button