AngolaDestaque

Restos mortais de Savimbi entregues hoje no Andulo

A entrega aos familiares e à direcção da UNITA da urna com os restos mortais de Jonas Savimbi acontece hoje, na Vila do Andulo, província do Bié, anunciou ontem em comunicado a Casa Civil do Presidente da República.

Restos mortais de Savimbi entregues hoje no Andulo
Restos mortais de Savimbi entregues hoje no Andulo

Isaías Samakuva e familiares de Jonas Savimbi foram ontem à Cidade Alta falar com o Presidente da República
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

O comunicado foi divulgado depois da audiência que o Presidente da República, João Lourenço, concedeu a uma comitiva representativa da UNITA, encabeçada pelo seu presidente, Isaías Samakuva, e da família do seu fundador, Jonas Savimbi.
O propósito da audiência, explica o comunicado, foi a procura de uma saída airosa para o impasse surgido nas últimas quarenta e oito horas, relativamente à entrega dos restos mortais do Dr. Jonas Savimbi e o subsequente processo de inumação.
“Ficou decidido que a entrega à família e à direcção da UNITA da urna com os restos mortais do fundador da UNITA acontecerá amanhã (hoje), dia 31 de Maio, na vila do Andulo, província do Bié. No dia seguinte, 1 de Junho, será o funeral na localidade de Lopitanga”, refere o documento.
Segundo o comunicado, o Executivo criou todas as condições de natureza logística para que se façam presentes nos actos previstos, para o Andulo e Lopitanga, os membros da família do Dr Jonas Savimbi e da direcção da UNITA.

Faltou diálogo
À saída da audiência, que durou cerca de uma hora, o presidente da UNITA, Isaías Samakuva, disse à imprensa que o impasse surgiu porque faltou diálogo.
“Na minha maneira de ver, o que houve foi apenas falta de dialogo. É importante que os angolanos aprendam a dialogar. Nada se resolve sem diálogo”, sublinhou.
Quando há dificuldades conversa-se e chega-se sempre à conclusão, salientou, reconhecendo que “é isto que o Presidente da República procurou fazer, e achamos que esta é a via mais correcta”.
Isaías Samakuva negou que tenha havido braço de ferro entre o Governo, de um lado, e a direcção da UNITA e os familiares de Jonas Savimbi, do outro. “Não houve braço de ferro, houve desfasamentos em relação ao que estava inicialmente previsto”, disse, sublinhando que tudo aquilo já não é matéria.
“O que queríamos era enterrar os restos mortais do nosso presidente fundador e é isto que o Presidente da República achou que devia ser feito, porque é um compromisso que ele tinha assumido e é isso que vai ser feito. Não temos nada mais. Estamos satisfeitos”, acrescentou o líder da UNITA, que foi chamado a Luanda, na sequência da carta que enviou ao Presidente da República, na quarta-feira.
Isaías Samakuva explicou que pedia, na carta, que o “Presidente da República fizesse algo para nos indicar como poderíamos ter os restos mortais do Dr Savimbi”.
“O Presidente da República prontamente respondeu pedindo que viéssemos a Luanda – estávamos no Huambo. Tivemos agora esta reunião que decidiu que os restos mortais do Dr Savimbi serão entregues amanhã (hoje), no Andulo, à família e à direcção da UNITA, para serem sepultados no Lopitanga, como está programado, para amanhã, dia primeiro de Junho.”

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button