AngolaDestaque

Restos mortais de Savimbi já na posse da Família e da Unita

Os restos mortais do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, falecido há 17 anos, em combate,na região do Lucusse, Moxico, serão hoje, definitivamente, sepultados na aldeia Lopitanga, município do Andulo, província do Bié.

Restos mortais de Savimbi já na posse da Família e da Unita
Restos mortais de Savimbi já na posse da Família e da Unita

Urna contendo ossadas do fundador da UNITA foi recebida pelos familiares no Bié
Fotografia: Vigas da Purificação|Edições Novembro

As ossadas de Jonas Savimbi, exumadas do cemitério do Luena, foram formalmente entregues hoje no Andulo pelo inspector-geral do Ministério da Saúde, Miguel dos Santos Oliveira, aos familiares e à direcção da UNITA.
O termo de entrega foi assinado por Miguel Oliveira, Durão Cheya Sakaita Savimbi e Ernesto Mulato, em representação do Executivo, da família e da UNITA, respectivamente.
Durante o acto, decorrido no Centro Cultural Kaundy, o inspector-geral do Ministério da Saúde e membro da Comissão Multissectorial criada pelo Presidente da República para as Exéquias de Jonas Savimbi, garantiu terem sido respeitados todos os procedimentos sanitários e legais nos actos de exumação e transladação dos restos mortais do Luena, onde inicialmente tinha sido enterrado o corpo, para o Andulo. Miguel Oliveira realçou o facto de todas essas etapas terem sido sempre acompanhadas pela família.
Por seu turno, Durão Cheya Sakaita Savimbi, primogênito de Jonas Savimbi, agradeceu a todos que tornaram possível o acto de ontem, destacando o Presidente da República, João Lourenço, e o líder da UNITA, Isaías Samakuva. “Agora, com o corpo do nosso pai, vamos cumprir (oficialmente) o tempo de luto e chorar por ele”, disse Durão Savimbi, de 45 anos.

Reconhecimento
de Isaías Samakuva
O presidente da UNITA realçou o papel desempenhado pelo Chefe de Estado para que o acto de ontem tivesse acontecido. Nas entrelinhas, Isaías Samakuva deu a entender que chegou a duvidar da seriedade do Presidente da República para que se facilitassem as exéquias de Savimbi, depois dos acontecimentos ocorridos na terça-feira, no Cuito, quando os restos mortais do fundador da UNITA foram depositados numa unidade militar, no Andulo.
“No encontro que tivemos ontem (quinta-feira), o senhor Presidente da República reafirmou o seu compromisso e disse-nos que essa cerimónia aconteceria hoje, o que veio de facto a acontecer “, sublinhou.
Segundo Samakuva, a conversa com o Presidente da República demonstrou mais uma vez que, com diálogo, tudo se resolve e que “se pensarmos que os que estão no poder só devem mandar e os que não estão só cumprem, então nunca vamos resolver os nossos problemas”.
Isaías Samakuva considerou o fundador da UNITA “um herói nacional, um político e diplomata de gema que deu a sua vida por Angola e pelos angolanos”, mesmo que isso não seja reconhecido oficialmente.
Depois da entrega formal, os restos mortais de Jonas Savimbi foram transportados para a aldeia de Lopitanga, a 32 quilómetros a oeste da vila do Andulo, num helicóptero cedido pela Presidência da República.
Em vida, foi sempre desejo de Jonas Savimbi ser enterrado na Lopitanga, onde se encontram sepultados os seus ancestrais. No âmbito das exéquias, ontem, por volta das 19 horas, foi realizado um culto religioso, ao que se seguiu, cerca de uma hora mais tarde, o velório.
Para o enterro devem estar presentes várias centenas de pessoas, que começaram a chegar na Lopitanga na quinta-feira.
Segundo o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala, do estrangeiro chegaram personalidades como o político português João Soares, filho do antigo Presidente da República de Portugal, Mário Soares, e outras de França, Espanha, Bélgica, Dinamarca, Holanda, Estados Unidos da América, Zâmbia e Namíbia.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button