AngolaDestaque

Sete milhões de dólares para agricultura familiar

Cerca de oito mil famílias camponesas de vários municípios das províncias da Huíla, Cunene e Benguela vão beneficiar do Projecto de Relançamento da Agricultura Familiar, revelou o director do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA).

Sete milhões de dólares para agricultura familiar
Sete milhões de dólares para agricultura familiar

Agricultores em comunidades rurais na Huíla tiveram muitos prejuízos devido a seca
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Nguinamau Luzeawayu informou que o foco do projecto, orçado em mais de sete milhões de dólares, visa impulsionar a produção nos municípios afectados pela seca, concretamente para a criação de condições para os criadores de gado e o cultivo de cereais como milho, massango e massambala.
Segundo Nguinamau Luzeawayu, na província da Huíla o projecto vai ser executado nos municípios da Chibia e dos Gambos, onde inúmeras famílias camponesas deixaram de produzir devido à seca. O projecto visa ainda a instalação de sistemas de água nas comunidades, para permitir que as famílias camponesas e criadores de gado possam desenvolver a actividade sem constrangimentos.
Nguinamau Luzeawayu informou que uma das prioridades do projecto é a recuperação e a construção de infra-estruturas, instalação de empreendimentos vocacionados para a sanidade animal e a distribuição de sementes e alfaias agrícolas.
A reactivação e construção de escolas de campo, para a experimentação de novas culturas pouco usadas pelas famílias camponeses das regiões seleccionadas, o fortalecimento das habilidades técnicas das comunidades para a preparação dos solos, são outros objectivos do projecto, disse Nguinamau Luzeawayu, que acrescentou: “O projecto visa a diversificação da produção no meio rural. A seca tem graves consequências económicas e sociais nas populações das comunidades rurais. É nesta vertente que temos de encontrar fórmulas para levar água potável às comunidades, quer para o consumo dos habitantes, quer para o abeberamento do gado.”
Nguinamau Luzeawayu disse que está a ser incentivada a actividade de reflorescimento, para dar lugar à produção de mel, carvão, bem como a recolha de insectos comestíveis, como catatos (maungo).
A directora do Gabinete Provincial da Agricultura, Mariana Soma, disse que o projecto, tutelado pelo Ministério da Agricultura e Florestas, é apoiado financeiramente pelo Fundo Internacional da Agricultura (FIDA) e o Fundo das Nações Unidas para Alimentação (FAO).
Mariana Soma anunciou que brevemente é lançado um outro projecto similar, a cargo do Instituto de Desenvolvimento Agrário. “Estamos a reforçar as sinergias para promover a resiliência das famílias camponesas afectadas pela seca, sobretudo aquelas dos municípios ecologicamente mais frágeis”, assegurou Mariana Soma.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button