AngolaCrimeDestaqueEconomia

SIC detém grupo por desvio de mais de 1,5 mil milhões

Sete indivíduos, de um grupo de nove, funcionários de várias instituições, que desviaram mais de 1,5 mil milhões de kwanzas dos cofres do Estado, por via do Ministério das Finanças, a partir de 2013, foram detidos pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), soube o Jornal de Angola de fonte que acompanha o caso.

SIC detém grupo por desvio de mais de 1,5 mil milhões
SIC detém grupo por desvio de mais de 1,5 mil milhões

Grupo recrutou 19 elementos através dos quais sacavam um milhão de kwanzas por mês por cada
Fotografia: DR

O porta-voz do Serviço de Investigação Criminal disse ontem, durante a apresentação dos resultados das operações realizadas, que os indivíduos, com idades compreendidas entre 23 e 32 anos, foram detidos no dia 25 do mês passado, no Bairro da Vila Alice, Distrito Urbano do Rangel, município de Luanda. Dois elementos do grupo ainda estão em fuga,

O superintendente Fernando de Carvalho fez saber que os nove elementos, dos quais dois militares pertencentes à Direcção de Organização e Mobilização (DOM) e Departamento de Recrutamento e Mobilização (DRM) das Forças Armadas Angolanas (FAA), desde 2013, recrutaram 19 elementos que recebiam um milhão de kwanzas por mês cada, totalizando 19 milhões mensalmente. Fernando de Carvalho explicou que, anualmente, o grupo retirava dos cofres do Estado, de forma ilícita, em nome das Forças Armadas Angola-
nas, 228 milhões de kwanzas, totalizando em seis anos 1.596.000.000 de kwanzas, ao longo de 84 meses.
Fernando de Carvalho adiantou que os elementos, dos quais um técnico de informática das FAA, em fuga, depois do recrutamento dos 19 elementos, abriram contas bancárias no BPC e trataram cartões multicaixa, que ficavam sob responsabilidade do grupo. Cada um dos 19 elementos, que não estavam enquadrados na função pública, recebia da parte dos malfeitores mensalmente 40 mil kwanzas, em gesto de compensação, sem esforço nenhum.

“Importa salientar que, segundo os elementos detidos, os depósitos eram feitos nas respectivas contas bancárias, via Ministério das Fi-nanças, no valor de um milhão de kwanzas, por mês, perfazendo 19 milhões por mês e 228 milhões ano, para despesas da DOM/FAA, totalizando o valor global de 1.596.000.000 de kwanzas.
Fernando de Carvalho disse que dos nove elementos indiciados nos crimes de “associação criminosa”, “recebimento indevido de vantagens” e “peculato”, quatro não têm emprego – um motorista, um técnico de informática, um estudante, e dois sargentos colocados nas direcções de Organização e Mobilização e de Recrutamento e Mobilização das Forças Armadas Angolanas, que estão em fuga.

O SIC encontrou, durante a detenção deste grupo, três viaturas: um Hyundai, modelo Elantra, um Volvo, e um Renaut, modelo Duster, bem como três televisores, três computadores portáteis, uma impressora, cinco telefones, 27 cartões multicaixa, sendo 19 do BPC, cinco do BFA, três cartões Visa, um do BAI, um do Millenium, um do Banco Sol e 250 mil kwanzas.

O grupo, apresentado ontem na Esquadra da Terra Nova, foi detido no âmbito do combate aos crimes violentos e contra a economia. Durante esta operação foi ainda possível a detenção de 62 cidadãos por envolvimento em crimes diversos assim como o esclarecimento de 30 casos de natureza diversa. Foram apreendidas quatro armas de fogo, quatro viaturas, cinco placas electrónicas e 12 elevadores de viaturas diversas.

JA

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button