Angola

Vinte e três empresas apresentam soluções de combate à seca

Vinte e três das 41 empresas nacionais e estrangeiras do sector hídrico, que adquiriram os documentos de concurso, apresentaram propostas para a concepção e construção de obras estruturantes de combate à seca no sul do País, anunciou o director geral do Instituto Nacional de Recursos Hídricos (INRH), Manuel Quintino.

Vinte e três empresas apresentam soluções de combate à seca
Vinte e três empresas apresentam soluções de combate à seca

A população animal da província está sendo fortemente afectada

FOTO: TARCISIO VILELA

As soluções consiste na construção de um transvase a partir do rio Cunene, na sua bacia hidrográfica e na construção de duas barragens de terra, uma na localidade de Calucuve e outra na localidade de Ndúe, que estarão situadas na bacia hidrográfica do Cuvelai.

Manuel Quintino, que falava na sessão pública de abertura do concurso público, afirmou que as propostas serão submetidas, a partir de hoje, a um processo de avaliação por uma comissão do Ministério da Energia e Águas (Minea), que visa aferir a qualificação destas empresas em todos os domínios.

A comissão, que tem um prazo de avaliação das propostas de 20 dias  e para a apresentação do relatório, prevê-se que até final de Maio tenha a apreciação do titular do Minea, assim como a homologação do Presidente da República.

No final deste processo serão seleccionadas as empresas a quem serão adjudicadas as obras das bacias do Cunene e do Cuvelai.

Com a construção do sistema de transferência de água a partir do rio Cunene, na localidade do Cafu para a zona das Oshanas, em Cuamato, e de Namacunde, e a construção da barragem 128 em Calucuve vai permitir a criação de uma reserva hídrica nas bacias do Cunene e atenuar os efeitos nefastos da seca.

Outros benefícios destas obras consiste em  permitir que aquela população tenha água corrente para o consumo da população, sua utilização no abeberamento do gado, assim como a utilização na actividade agrícola.

Em relação às águas das chuvas, afirmou que serão construídas duas barragens uma no Caluqueve e outra no Andué, que inicialmente vão receber água do escoamento superficial, que serão armazenadas e utilizadas em função da demanda.

Por outro lado, o responsável revelou que o INRH tem estudos concluídos para a construção de barragens nos próximos tempos nas províncias do Namibe e Cuanza Sul.

No Cunene serão construídas seis barragens para retenção de água, a criação de uma reserva hídrica para abastecimento deste recurso à população, gado e irrigação.

Já no Cuanza Sul prevê-se a construção de um transvase para tirar a água do rio Longa e levá-la à baixa de Denda e Uamba e com os mesmos benefícios (fornecer este líquida indispensável  à população, gado e para a actividade agrícola).

Angop

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button