Cidadão recorre a curandeiro para tornar o corpo à prova de bala e morre ao fazer o teste

 

O SIC e a Polícia capturaram os ajudantes do suposto médico tradicional, Mestre Alfa Milagre, suspeito de matar com disparo de arma de fogo um dos seus clientes, após promessa de que tornaria o corpo deste à prova de bala.

A cena invulgar deu-se quando, a vítima, de nome Victor, de 48 anos, acreditando que se podia tornar num humano imune à morte por bala de arma de fogo, decidiu recorrer ao tratamento do Mestre Alfa Milagre, o suposto kimbandeiro.

Mas, o que terá motivado um cidadão comerciante e bem sucedido a procurar os serviços de um curandeiro?

Segundo consta, o objectivo da vítima era procurar obter uma cura milagrosa e garantir que o seu corpo se transformasse à prova de bala. Para o tratamento, no suposto médico tradicional, Victor terá pago valores não revelados pela investigação.

Aquilo que Victor esperava vir a ser um Milagre, transformou-se numa autêntica desgraça.

Após o tratamento, o homem, convencido da eficácia da medicação a que fora submetido pelo suposto Kimbanda, colocou-se à prova de um disparo de arma de fogo, não tendo resistido ao ferimento provocado pela bala, morreu na hora.

Ao deparar-se com a morte do seu cliente, o kimbandeiro colocou-se em fuga, estando, até ao momento, em parte incerta.

Os familiares de Victor, contactados pela RL, prometeram reagir ao sucedido nos próximos dias.

O Porta voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, Nestor Goubel, garante que com a captura dos ajudantes do suposto curandeiro, pode-se chegar mais rapidamente ao Mestre Alfa Milagre.

Segundo ainda o inspector-chefe Nestor Goubel, a captura dos ajudantes Dombe Ndo e Stafnii Kazongo só foi possível graças a um trabalho aturado conjunto do SIC e a Polícia.

O Porta voz da Polícia Nacional aconselha os cidadãos a evitarem recorrer a supostas curas milagrosas de curandeiros, que visam apenas o lucro fácil.

Nestor Goubel lamenta, por outro lado, a facilidade com que pessoas instruídas, intelectuais e formadas caem em erros do género.

De resto, a pergunta que não se quer calar é a seguinte: O que terá motivado um cidadão comerciante e bem sucedido a procurar os serviços de um curandeiro?

  • Adicione seu comentário