CrimeSociedade

Subchefe da Polícia mata homem que confundiu com alegado amante da mulher

Subchefe da Polícia Nacional mata homem que confundiu com alegado amante da mulher
Subchefe da Polícia Nacional mata homem que confundiu com alegado amante da mulher

Um homem de 30 anos foi morto a tiro na madrugada de Sábado, 10, por um 3º subchefe da Polícia Nacional, que o confundiu com o alegado amante da sua mulher, disse fonte policial.

Tchipa Panzo, de 30 anos, foi atingido em cheio na cabeça por um disparo de arma de fogo quando estava em convívio entre amigos, na rua H do bairro Palanca, município do Kilamba Kiaxi, em Luanda.

O crime aconteceu por volta da 01:00 e o homicida, após consumar o acto, meteu-se em fuga, como relataram populares que estavam no local. A mulher do subchefe da PN e o seu alegado amante, também estavam no local.

O óbito foi declarado pelos efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC) que acorreram no local do crime 20 minutos depois deste ter sido cometido.

Ao que o NJ apurou no local, o crime terá sido motivado por questões passionais porque a mulher manteria, em paralelo, uma relação amorosa com amigo da vítima e com seu esposo.

O atirador encontrou a vítima e a mulher juntos, numa lanchonete, e chegou a confundir o homem com o suposto amante da sua esposa, tendo baleado por engano o homem na zona da cabeça.

De acordo com o intendente Hermenegildo de Brito, porta-voz do Comando Provincial de Luanda da Polícia Nacional, o terceiro subchefe da Polícia Nacional está colocado no Comando Municipal do Kilamba Kiaxi, e ainda está foragido das autoridades.

“Ele meteu-se em fuga depois de cometer o crime. Após tomarmos conhecimento da ocorrência, de imediato fez-se a remoção do corpo”, disse, acrescentando que a PN e o SIC entraram em contacto com a família do falecido e foram iniciadas diligências para a localização e detenção do foragido.

O responsável fez saber ainda que foram abertos dois processos contra o acusado. “Apesar de não se encontrar em serviço na altura do sucedido, de acordo com o que estipula o regulamento de disciplina da Polícia Nacional, além do processo-crime, será também aberto contra o acusado um processo disciplinar, que pode culminar com a sua expulsão da corporação”, disse.

Fonte: NJ

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button