Cultura

Cultura trabalha na fundamentação do dossier Cuito Cuanavale

Luanda - A ministra da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, afirmou, nesta segunda-feira, em Paris (França), que se está a trabalhar no processo de fundamentação do dossier Cuito Cuanavale, para, posteriormente, ser remetido a UNESCO, no âmbito da candidatura a património mundial da humanidade.

De acordo com a ministra, que falava à margem da reunião com a UNESCO para o balanço da 1.ª edição da Bienal de Luanda – Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, por se tratar de uma das prioridades do sector, os especialistas estão a trabalhar no terreno, para a recolha de mais dados a serem incluídos no processo.

A candidatura do Cuito Cuanavale a Património da Humanidade conta com o apoio dos países da África Austral, pelo seu impacto na abolição do apartheid na África do Sul e para a Independência Nacional da Namíbia.

Relativamente a reunião com o director Regional para a África Central da UNESCO, Salah Khaled, Maria da Piedade de Jesus avançou que serviu para se fazer um balanço dos resultados da Bienal de Luanda e o alinhamento de algumas acções para a segunda edição do evento.

Por seu turno, o director Regional para a África Central da UNESCO, Salah Khaled, garantiu a disponibilidade da organização apoiar os projectos angolanos.

Salah Khaled  adiantou, em relação a Bienal de Luanda, a intenção de se fazer melhor na segunda edição, destacando, por esta razão, a necessidade de se começar a trabalhar o mais cedo possível.

Historial do Memorial do Cuito Cuanavale

O memorial tem a forma de uma pirâmide, que simboliza a resistência e bravura dos combatentes desta batalha, e uma estátua. Tem  igualmente dois espelhos de água que retratam os rios Cuito e Cuanavale. A pirâmide está sustentada por três pilares que simbolizam os três ramos das Forças Armadas Angolanas (FAA).

No terraço do monumento, está colocada uma peça em vidro, onde poderão ser depositadas flores em homenagem aos combatentes tombados. No seu interior tem um feixe luminoso, que significa a força demonstrada pelas tropas na vitória sobre os sul-africanos.

Estão também integradas infra-estruturas sociais em várias fases, como a construção de um centro de conferências, uma biblioteca e um museu, onde estão expostos os espólios desta batalha.

O centro de conferência de nível internacional, erguido junto ao monumento, tem duas salas para congressos, uma área administrativa e um parque automóvel. Numa outra fase, será erguida uma vila turística, com 120 apartamentos, uma piscina, dois restaurantes, centros sociais e comerciais, entre outras benfeitorias, para albergar as pessoas que pretenderem visitar o local.

O projecto do Governo central inclui ainda uma outra etapa, dedicada à construção de 12 residências protocolares para as diversas individualidades que se deslocarão ao município.

A Batalha de Cuito Cuanavale foi o ponto de viragem decisivo numa guerra que se arrastava há longos anos e na qual o jovem Estado angolano teve de sofrer as pressões e ameaças de grandes potências e a agressão directa de forças militares que elas financiavam, apoiavam e armavam.

A batalha aconteceu em 23 de Março de 1988, altura em que as ex-Forças Armadas Populares de Libertação de Angola (FAPLA), em parceira com efectivos militares de Cuba, impuseram-se ao exército do antigo regime do apartheid sul-africano, que invadia Angola a partir desta região sudeste do país.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button