Desporto

Akwá quer 260 mil dólares para pagar multa ao Qatar SC

O ex-deputado e capitão dos Palancas Negras não trabalha como profissional de futebol por estar sancionado pela FIFA há dez anos, devido àquele seu antigo clube que alegava não lhe dar a dispensa para representar a selecção.
Akwá quer 260 mil dólares para pagar multa ao Qatar SC
Akwá quer 260 mil dólares para pagar multa ao Qatar SC

Fabrice de Alcebiades Maieco, mais conhecido como Akwá, precisa de pelo menos 260 mil dólares, cerca de 82,5 milhões de kwanzas, para pagar a multa no Qatar SC.

“Eu fui castigado porque vim representar a selecção. O clube não queria que eu viesse e no meu regresso levou o caso à FIFA. Se o Gelson Dala amanhã disser que não virá representar a selecção, vão dizer que não é patriota”, atirou o angolano de 42 anos.

Akwá revelou publicamente que na altura em que decorriam os preparativos para o CAN 2010, realizado em Angola, foi orientado para ir à Federação Angolana de Futebol (FAF) e falar do seu caso com o Alves Simões, actual presidente do Interclube. “Ele tinha ordens para resolver a situação. Voltei a encontrar-me com o General N’dalo num outro dia, perguntou-me se já estava resolvida a minha situação e eu disse que não. Até hoje!”

Além disso, fez saber que já teve em alguns encontros com as direcções da FAF e Ministério da Juventude e Desportos, onde abordaram o caso, mas sem nenhuma conclusão. “Dizem que já se criou uma comissão para resolver a situação, mas a verdade é que o tempo vai passando e até hoje nada feito. Há pessoas que não querem ver o caso do Akwá resolvido”, lamentou.

Akwá considerou também falsa a informação do seu antigo clube e justificou-se que, na altura, para sair do Qatar teria de ter um documento como se fosse um visto de saída. Porém, avançou que a direcção daquele clube muitas das vezes escondia a sua convocatória para representar a selecção.

Para evitar isto, chegou a usar fax em sua casa. E quando recebia a convocatória por esta via, de seguida, levava para a direcção do Qatar SC, que também recebia pela mesma forma.

De recordar que na altura em que o ex-jogador foi sancionado pela FIFA, marcou o único golo do desafio frente ao Ruanda, em Kigali, que qualificou os Palancas Negras para o Mundial de 2006, decorrido na Alemanha.

Akwá começou a carreira profissional em 1992 no Nacional de Benguela. Passou pelas equipas portuguesas como Sport Lisboa e Benfica, Alverca e na Académica de Coimbra. No Qatar também jogou nas equipas do Al-Wakra, Al-Gharafa e encerrou a carreira no Petro de Luanda, em 2008.

SAPO

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button