Divórcio mal explicado entre Petro e Beto Bianchi

Trinta e nove meses após Beto Bianchi ter assumido o comando técnico do Petro de Luanda, na época 2016, com o objectivo de devolver os tricolores ao topo do futebol nacional, os campeões dos campeões vão ser orientados, a partir de hoje, interinamente, por uma novo treinador. Trata-se do espanhol António “Toni” Cosano, até então responsável pela formação no clube do Catetão, que vai fazer a sua estreia na quarta-feira, 27, no Huambo, diante do Recreativo da Caála, para acerto da 20ª jornada do Girabola Zap.

O fim do vinculo contratual entre a direcção do Petro de Luanda e o treinador hispano brasileiro foi tornado público na passada sexta-feira, pelo elenco de Tomás Faria, que avança as constantes ameaças de morte que Beto Bianchi estava a receber, incluindo anónimas, por parte de adeptos do clube, como a causa do fim do “casamento” entre ambos.

“As razões (rescisão do contrato) foram meramente de segurança. Nós rescindimos com o treinador principal, senhor Beto Bianchi. Nos últimos dias, temos constatado e o professor nos transmitiu, que passou a receber muitas ameaças, algumas anónimas. O professor Beto Bianchi é um ser humano, com família e precisa fazer a sua vida. Por isso, entre as partes, achamos bem, rescindir o contrato e está livre da situação actualmente”, disse.

Tomás Faria fez saber, que comissão técnica liderada pelo espanhol António “Toni” Cosano vai dirigir a equipa até final da época. Cosano vai ser coadjuvado pelos técnicos Flávio Amado e João Doce, até a direcção encontrar um substituto oficial, para comandar o “navio petrolífero”.  Beto Bianchi deixa o comando técnico com o Petro de Luanda na segunda posição do campeonato, com 37 pontos, atrás do 1º de Agosto com 44, porém os tricolores têm menos três jogos.O hispano-brasileiro orientou 105 jogos no Girabola Zap, tendo obtido 65 vitórias, 24 empates e 16 derrotas.

JD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *