Desporto

José Sayovo reclama homenagem

Entre a falta de dinheiro e a vontade, o Ministério da Juventude e Desportos precisa explicar as razões da não disponibilização de verbas para a realização da Taça Sayovo, que aguarda pela materialização da sua 12ª edição há caminho de três anos. A última edição foi disputada em 2016 e teve como vencedores José Feliciano e Emeloide Fernanda.

A explicação é requerida pelo próprio José Armando Sayovo. O ex-velocista quebrou o silêncio e disse precisar de uma resposta para dar às pessoas que o questionam sobre a competição.”Estou preocupado. Não só eu, mas também muitos atletas espalhados pelas províncias que ganharam o hábito de se preparar para participar do evento. Perguntam-me e não sei o que dizer”, disse.

Armando Sayovo justificou as razões da inquietação: “Estou preocupado, porque esse é um reconhecimento do próprio Estado daquilo que fizemos. E quando passam três anos, então, já é esquecimento”, disse Sayovo ao Jornal dos Desportos.

O Comité Paralímpico Angolano (CPA) aguarda pacientemente pela disponibilização da verba para a prova e manifesta-se esperançado em realizá-la até finais de Abril, segundo o seu secretário-geral, António da Luz.”A prova está projectada e faz parte do nosso calendário de competições. Temos a esperança de a realizar até finais de Abril, mas não recebemos qualquer verba”, disse.

José Sayovo disse que a falta de verba é, também, a justificação que ouviu do responsável do CPA.”Quando houve um encontro alargado com os representantes provinciais do desporto adaptado, ouvi o secretário-geral a falar da falta de dinheiro. Por isso, estou preocupado”, concluiu.

Sayovo acredita que não está a ser esquecido e “gostaria de perceber a ausência da homenagem”.A Taça Sayovo foi instituída pelo Ministério da Juventude e Desportos em reconhecimento do atleta portador de deficiência visual, classe T11, a nível nacional, campeonatos africanos, mundiais e Jogos Paralímpicos.A iniciativa surgiu, depois da conquista de três medalhas de ouro nas provas de 100, 200 e 400 metros e respectivos recordes mundiais e nos Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004.

José Sayovo é natural da província de Bié e é o atleta angolano com o maior número de medalhas. Tem um pecúlio de 48 medalhas internacionais, 25 de ouro, 21 de prata e duas de bronze. Subiu ao pódio em três ocasiões consecutivas de Jogos Paralímpicos, designadamente, em Atenas’2004 (Grécia), Beijing’2008 (China) e Londres’2012 (Inglaterra).

Jornal do Desportos

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button