Petro perde com Desportivo da Huíla e compromete a corrida pelo título

A derrota (0-2), frente ao Desportivo da Huíla, ontem na deslocação à cidade do Lubango, deixou o Petro de Luanda mais dependente do 1º de Agosto, que está agora a três vitórias da confirmação do inédito quarto título consecutivo, no Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola.

Petro perde com Desportivo da Huíla e compromete a corrida pelo título
Petro perde com Desportivo da Huíla e compromete a corrida pelo título

Presidente do clube tricolor, Tomás Faria ainda acredita na conquista do Girabola
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro

Obrigados a vencer, depois do triunfo dos militares do Rio Seco, diante do Recreativo da Caála, por 1-0, sábado na abertura da 26ª jornada, os petrolíferos assumiram as despesas do jogo, determinados em ganhar vantagem no marcador. Danilson e Thiago Azulão criaram, no primeiro quarto de hora, as oportunidades de golo mais claras da equipa orientada pelo espanhol Antonio Cosano, que viu o guarda-redes Ndulo e o defesa Emilson travar a bola, quando muitos adeptos se preparavam para festejar.
A formação huilana comandada por Mário Soares levou algum tempo para chegar aos limites da baliza contrária.
Apenas aos 20 minutos Lionel Liombi conseguiu assustar Élber, ao fazer a bola passar rente à base do poste direito, na sequência de um ataque em transição, uma das características do futebol praticado pelos anfitriões.
A sétima visita dos tricolores sem vencer no Lubango começou a ser desenhada aos 29 minutos. Lionel aproveitou o deslize de Herenilson, na recepção de um passe de Além, para fazer, num remate à entrada da área, o primeiro golo da partida, que seguiu equilibrada até ao intervalo, com certo ascendente dos visitantes.
A história do jogo foi escrita no mesmo registo, no segundo tempo. O Petro de Luanda enérgico à procura do golo e o Desportivo atento a eventuais brechas na cortina defensiva contrária, por forma a desferir o golpe fatal, que acabou por surgir já depois dos 90 minutos, novamente com a chancela de Lionel Liombi.
Com menos um jogo disputado, os tricolores estão agora mais distantes da conquista da prova, feito que escapa há 10 anos. Nãovencem no Lubango desde 2013. Quatro derrotas, três empates, seis golos sofridos e apenas um marcado é o saldo dos últimos sete desafios.

Firmeza militar

Sábado, o 1º de Agosto derrotou, por 1-0, um inspirado Recreativo da Caála, que obrigou os tri-campões a se superarem para evitar o desperdício de pontos, no Estádio Nacional 11 de Novembro. Ary Papel fez o golo solitário na transformação de um penálti inventado por si.
Os rubro e negros podem confirmar a consagração já na deslocação à cidade do Cuito, casa emprestada do Cuando Cubango FC, na penúltima jornada, caso façam os mesmos resultados do Petro, nos desafios frente ao Sagrada Esperança (27) e FC Bravos do Maquis (28), já a contar com um triunfo dos tricolores, no desafio em atraso com o Saurimo FC.
Atento à movimentação das equipas da frente, o Kabuscorp do Palanca venceu (3-1) o Sporting de Cabinda, ontem, no Estádio Municipal dos Coqueiros. Vitorioso esteve igualmente o FC Bravos do Maquis, por 1-0, no dérbi do Leste com o Sagrada Esperança.
O Santa Rita de Cássia superou o Progresso Sambizanga, por 2-0, na fuga da despromoção. A Académica do Lobito vergou o Cuando Cubango FC, 4-0, enquanto no sábado o ASA empatou (1-1) com o Recreativo do Libolo.
O desafio entre o Interclube e o Saurimo FC voltou a não ser realizado. Ontem a formação da Lunda-Sul foi ao Estádio 22 de Junho, mas não encontrou o adversário, nem a equipa de arbitragem. Mais um caso para a Federação resolver.

JA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *