Consumo de álcool causa 250 mil mortes ao ano Cancro no fígado

Uma análise exaustiva ao cancro no fígado em todo o mundo revela que, só em 2015, 810 mil pessoas (em 854 mil casos) morreram e destas, cerca de 30% deveram-se ao consumo de bebidas alcoólicas.

Cancros do fígado e do pâncreas são mais comuns entre os consumidores de bebidas alcoólicas em excesso

Estes 30% representam perto de 250 mil mortes nos 195 países analisados, de acordo com o estudo mencionado na publicação da especialidade JAMA Oncology.

A relação entre consumo de álcool e o aparecimento de cancro no fígado é cada vez mais evidente na investigação médica. Sendo este tipo de tumor maligno um dos mais mortíferos, seria possível reduzir o número de vítimas através da prevenção.

O estudo, noticiado pelo El País“, revela que 53% das mortes por cancro no fígado na zona Este da Europa devem-se às bebidas alcoólicas; 46% na Europa Central e 32% na Europa Ocidental (15 mil pessoas).

“O mais importante nas nossas descobertas é que o cancro no fígado continua a ser uma importante causa de morte por cancro em muitos países apesar da disponibilidade para estratégias preventivas efetivas”, explica a principal autora do estudo, Christina Fitzmaurice, da Universidade de Washington, nos EUA.

Quase um terço das mortes se devem ao álcool, uma causa que se podia “atacar”. Outro terço dos óbitos por este tipo de tumor têm origem no vírus da hepatite B e 21% no vírus da hepatite C. “Agora já se pode prevenir a hepatite B com a vacinação e a hepatite C pode ser tratada com êxito”, sublinhou.

O cancro no fígado é o quarto tumor maligno que mais mata globalmente apesar das suas principais causas serem “altamente preveníveis ou tratáveis”, conclui o estudo.

“O abuso do consumo de álcool continua a ser um fator relevante para o cancro do fígado e os tratamentos atuais contra o alcoolismo não são muito eficazes”, lamenta Christina Fitzmaurice.

Além do desenvolvimento de melhores tratamentos, a oncologista sugere estratégias de prevenção ao consumo do álcool ao nível das políticas de saúde pública e de educação.

Nem todos os consumidores de bebidas alcoólicas vão ter um tumor maligno mas os estudos realizados nos últimos anos revelam que alguns cancros são mais comuns nas pessoas que bebem álcool, nomeadamente a partir de um consumo moderado – são disto exemplo os tumores da boca, esófago, garganta e mama. Os cancros do fígado e do pâncreas são mais comuns entre os consumidores que bebem em excesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *