DestaqueEconomiaSociedade

João Lourenço admite que o desenvolvimento da Huíla pode descongestionar a capital do país

O Executivo tem prestado atenção particular à província da Huíla face às suas potencialidades económicas que, bem exploradas, poderão ajudar a descongestionar a cidade de Luanda, que está superpovoada, declarou hoje, no Lubango, o Presidente João Lourenço.

João Lourenço admite que o desenvolvimento da Huíla pode descongestionar a capital do país
João Lourenço admite que o desenvolvimento da Huíla pode descongestionar a capital do país

“O interior do país perdeu qualidade de vida, pelo que precisamos de fazer o caminho inverso”, observou João Lourenço
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

O Chefe de Estado, que intervinha numa reunião com os membros do Governo da Huíla, disse ser necessário criarem-se condições de vida e de trabalho noutras províncias, por ser a melhor via para descongestionar a cidade de Luanda e respectiva periferia, “que atingiram níveis insuportáveis”.
“O interior do país perdeu qualidade de vida, pelo que precisamos de fazer o caminho inverso, e é isso que está a acontecer com a Huíla”, observou João Lourenço perante os membros do Governo Provincial e responsáveis de Departamentos Ministeriais.
Afirmou ser preciso olhar para a província da Huíla no seu todo, para tirar melhor proveito da tradição que a população tem no domínio da pecuária e da agricultura.
O Presidente da República incentivou, igualmente, o sector privado a investir na indústria de transformação de carne, nomeadamente em matadouros, sem afastar a possibilidade de o Estado investir também no sector.

Energia garantida 

O Chefe de Estado declarou, também, que o Executivo trabalha para garantir energia eléctrica da barragem de Laúca à província da Huíla, a partir de uma linha de transmissão do Gove, na província do Huambo, numa extensão de 100 quilómetros até à central hidroeléctrica da Matala, que já dispõem de uma interligação de alta tensão com a cidade do Lubango.
Por outro lado, elogiou a governação de Luís da Fonseca Nunes, nomeado governador da província da Huíla, em Setembro de 2018.
“Não é bom elogiarem-se as pessoas, porque estraga, merece, mas não devo. Conte connosco, faça a sua parte e exija de nós que façamos a nossa (…)”, realçou o Presidente da República.
Hoje, primeiro dia de visita do Chefe de Estado à Huíla, para além do encontro com os membros do Governo, estão previstos contactos com figuras representativas da comunidade local, para a “auscultação de pontos de vista e contributos, dentro do espírito de uma presidência aberta”.
João Lourenço visita, igualmente, no período da tarde, parte das obras de requalificação da cidade do Lubango, em curso desde Novembro de 2017.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button