Destaque

Mais qualidade no álbum “Polivalente” de Erika Nelumba

Os discos anteriores de Erika Nelumba, anunciavam de forma premonitória os caminhos de uma vertiginosa evolução, a contar pela pertinente estrutura textual e flexão vocal, duas características sabiamente suportadas pela preocupação na elaboração estética e melódica das canções, sobretudo os temas que fizeram sucesso ao longo da sua ainda breve mas notável carreira.

Mais qualidade no álbum “Polivalente” de Erika Nelumba
Mais qualidade no álbum “Polivalente” de Erika Nelumba

De facto, Erika Nelumba está incluída, pelo timbre e qualidade do canto, numaplêiade de cantoras que, ao longo dos últimos vinte anos de produção musical angolana, no feminino, conquistou um espaço de pendor valorativo e elegeu como exploração temática, a estabilidade no amor, desejo, paixões, conflitualidade passional e o culto a Deus, temas muito comuns em qualquer época, e, sobretudo, na sua juventude.
Cantora, compositora e médica, Erika Nelumba iniciou a carreira musical em concursos de música em 2001 e rapidamente foi descoberta pelo produtor, Betomax, proprietário da produtora homónima, onde gravou o seu primeiro álbum de originais, com destaque para a canção, “Arrependimento”, seu primeiro grande sucesso.
Em 2002, com apenas dezanove anos de idade, participou e venceu o concurso musical “Voz do ano”, organizado pelo “Karaoke” do cinema Karl Marx, tendo-se revelado nas categorias, “Voz da semana” e “Voz do mês”, e arrebatou, em 2003, o “Top Rádio Luanda”.
Embora tenha conseguido um sucesso assinalável com a gravação do seu primeiro CD, a sua carreira sofreu um período de silêncio voluntário, para concluir a licenciatura em Medicina pela Universidade Jean Piaget, em Luanda, facto que ocorreu em 2008.
Erika Nelumba interrompeu, novamente, a música por motivos académicos,de 2011 a 2015, para concluir a especialização em Dermatologia, pela Universidade de São Paulo, Brasil. No dia 11 de Maio de 2018, o Instituto Camões-Centro Cultural Português acolheu um concerto intimista de Erika Nelumba, com participação especial de Selda, Walter Ananás e Mago de Sousa, ocasião em que revisitou os sucessos da sua carreira, clássicos da Música Popular Angolana e canções conhecidas da música internacional.
Filha de Eduardo Gomes Nelumba, Engenheiro, e de Maria Antónia Nelumba, Bióloga, Erika Judite Pimentel Nelumba, nasceu em Luanda no dia 19 de Maio de 1983 e foi a grande homenageada da 10ª Edição do Festival “Festkizomba”, em 2017, “pela sua contribuição no desenvolvimento da música nacional”, lê-se na nota final da homenagem.

Canções 

Embora tenha uma afeição pela totalidade da sua obra, Erika Nelumba diz ter uma predilecção especial, pelas canções, “Filha de Deus”, “O amanhã pertence a Deus”, e, sobretudo, pela canção, “Luz que brilha em mim”, tema que reproduzimos um pequeno excerto, És o meu escudo/ Minha canção/Meu mais que tudo/Minha chuva de verão/ Contigo eu posso voar/Contigo eu posso até cair/Porque és o meu chão/ És o meu chão/Refrão/ És a luz que brilha em mim/A razão do meu sorrir/E se hoje estou aqui/É por ter-te ao pé de mim //És meu ponto de partida…

Influências

Embora reconheça influências musicais recebidas, directamente, dos seus pais, com destaque para a belíssima voz da sua mãe, Maria Antónia Nelumba, Érica Nelumba denota um refinado gosto musical que se desdobra na afeição pela obra da cantora angolana, Belita Palma, aliás, prima da sua bisavó. No entanto, para além das grandes referências da música angolana e africana, a cantora identifica-se, no universo da música internacional, com as grandes vozes da Soul Music norte-americana, destaque para Whitney Houston, e os grandes sucessos do Rhythmandblues.

Discografia 

Para além do CD “Polivalente”, 2019, que destacaremos a seguir, Érika Nelumba gravou, “Pensando em ti”, 2003, disco com o qual foi distinguida pelo “Top Rádio Luanda” na categoria, “Voz revelação”. No CD estão alinhadas as canções, “Arrependimento”, seu primeiro grande sucesso, “Palavras”, “Apostar em mim”, “Ser audaz”, “Não sei o que fazer”, “Quero o teu perdão”, “Meu jeito” e “Amar-te. Na sequência, surgiu, em 2008, o CD, “Agora sim”, com os temas, “Tchilar”, “Diz porquê” , com participação especial de Johnny Ramos, “Filha de Deus”, “Não vou parar”, “Onde estás”, com participação especial de Gutto, “Quando estamos bem”, “É tão bom”, “If I could”, “Vem comigo”, “Interlúdio”, “Luz que brilha em mim” e “Eu sei”, que teve a participação especial de João Branco.

Depoimento 

Pedro Bernardo, amigo e compositor de alguns sucessos da cantora, fez o seguinte depoimento, “Conheci a Erika Nelumba em 1997, através de um amigo comum. Na altura, estava a procura de uma voz feminina para coros das músicas do meu grupo musical. Quando ela apareceu num dos nossos ensaios, começou a cantar… Confesso que fiquei impressionado com o seu poder vocal, tanto que a partir daquele dia passou a ser oficialmente a nossa corista. No entanto, sou suspeito para falar do trabalho dela, porque sou o autor da primeira versão de “Sentimento Insatisfeito”, como também, dos maiores êxitos da sua carreira, com destaque para,“Arrependimento”, “Diz…Porquê”?,“Luz que brilha em mim”, e ainda co-autor de “Filha de Deus” e “É tão bom”, onde participou João Bernardo e a própria Erika. A Erika é uma pessoa persistente no seu trabalho, de fácil trato, profissional, três características que a levam, naturalmente, à perfeição. Acreditem que se eu tivesse que falar tudo sobre ela, certamente que se esgotariam todas as páginas dos jornais”.

JA

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button