DesportoDestaque

Petro aborda Taça de Angola como salvação da temporada

Último vencedor da prova, não disputada o ano passado, o Petro de Luanda aborda a Taça de Angola de futebol com o propósito de salvar a época, enquanto o 1º de Agosto, novo tetra-campeão do Girabola, persegue a abertura do caminho para a conquista da “dobradinha”, hoje às 16h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro.

Petro aborda Taça de Angola como salvação da temporada
Petro aborda Taça de Angola como salvação da temporada

Petro quer derrotar a turma militar para salvar a honra
Fotografia: DR

O terceiro clássico dos clássicos da época futebolística, que voltou a abrir num ano e a fechar no outro, reedita nas meias-finais o jogo de decisão do troféu em 2017, ganho pelos petrolíferos, mercê do triunfo por 2-1, desfecho que frustrou a materialização do objectivo de duplo êxito militares.
Dominadores do palmarés da competição, com 11 troféus, os tricolores às ordens do espanhol Antonio Cosano procuram evitar o fecho da temporada sem qualquer troféu, depois da confirmação do segundo lugar do campeonato, pelo quarto ano consecutivo.
À semelhança da última vez que os colossos cruzaram na prova, também a seguir à consagração dos rubro e negros, o Petro de Luanda entra em campo determinado a ser mais do que um figurante, por recusar o convite para o baile da “dobradinha” do arqui-rival, postura que faz crescer o interesse dos adeptos no desafio.
Substituto do hispano-brasileiro Beto Bianchi, afastado já na segunda volta do Girabola, na sequência da eliminação na fase de grupos da Taça da Confederação, Cosano vai, certamente, colocar o melhor “onze” para assegurar a presença na final de sábado, 25 de Maio, Dia de África, que toma a vez ao feriado de 11 de Novembro. Élber, Eddie Afonso, Inusah Musah, Danilson e Tó Carneiro, Herenilson, Manguxi, Karanga e Isaac Mensah, Toni e Tiago Azulão podem entrar de início.
O 1º de Agosto chega à eliminatória focado apenas na disputa da final, por perseguir a interrupção do já longo jejum de 10 anos, pois não ergue o troféu da prova desde 2009. Para tal, a equipa técnica liderada pelo bósnio Dragan Jovic e a direcção do clube afastaram os jogadores de excessos nos festejos do título, no domingo.
A equipa do Rio Seco encara o reencontro com a formação do Eixo Viário como o momento do “tira teimas”, depois de dois desafios equilibrados no campeonato, saldados em vitória tangencial (1-0) para os militares, anfitriões esta tarde, e um empate sem golos.
Contrariamente às habituais rotações feitas na equipa titular, em função da prova, Jovic deve repetir a aposta no grosso dos jogadores lançados de início no jogo da consagração, frente ao Kabuscorp do Palanca. Tony Cabaça, Isaac, Bobô, Dany Massunguna e Natael, Show, Mário, Dagó e Zito Luvumbo, Mongo e Mabululu podem merecer a confiança do treinador.
A subir de forma na recta final da época, Ary Papel é um trunfo a ser lançado, ao contrário de Macaia, que perdeu os sentidos durante a comemoração do título. O jogador teve de passar a noite no hospital, para o acompanhamento da evolução do estado clínico.
O Conselho de Árbitros da FAF nomeou o internacional Hélder Martins, que dirigiu o jogo da segunda volta do Girabola, entre os emblemas, de quem os adeptos esperam uma entrega igual ou superior à que tiveram naquela tarde chuvosa de 7 de Abril.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button