Economia

Angola: Empreendedorismo feminino fomenta turismo e gera receita

Luanda - O empreendedorismo feminino fomenta o turismo e gera receitas para o país por via do investimento privado, tornando favorável o bom ambiente de negócios, afirmou hoje (sábado), o director nacional de requalificação de infra-estruturas e produtos turísticos, Afonso Vita.

Em declaração à Angop, por ocasião da abertura de uma Cooperativa das mulheres de Negócios e Turismo, Afonso Vita referiu que à medida em que as mulheres empresárias investem no sector do turismo, estimulam o ambiente de negócios, assim como a oportunidade de elevar a cultura e economia do país.

O responsável defende que actuação das mulheres  é um importante mecanismo para melhorar o ambiente de negócios, garantir condições favoráveis ao empreendedorismo e elevar os indicadores de qualidade de vida.

Neste sentido, realça que o turismo pode fomentar diferentes iniciativas de desenvolvimento económico local, além de aprimorar a gestão dos pequenos negócios, aproveitando melhor os recursos naturais, humanos, físicos e financeiros disponíveis.

” É fundamental que as mulheres empresárias e não só, não trabalhem sozinhas, pois a parceria é uma boa estratégia para que o trabalho desenvolvido possa ser efectivado e apresente resultados concretos”,referiu.

Na ocasião a presidente da Cooperativa das mulheres em negócio e turismo, Ângela Marta Diamantino, salientou que parte do desenvolvimento local de um município depende de acções empreendedoras ligadas ao sector de turismo.

“Para que iniciativas empreendedoras ocorram, é necessário que o ambiente onde estejam inseridas seja propício a empreender”, frisou.

Para o efeito, a promotora dos destinos turísticos entende ser necessário trabalhar na expansão das informações inerentes ao turismo, para que o sector do turismo seja uma área estratégica para acrescentar valor à economia angolana.

Entretanto, salientou que apesar das dificuldades existentes, o turismo desempenhará um papel fundamental no desenvolvimento da economia angolana, por haver potencial suficiente para alavancar a indústria e arrecadar receitas, um desiderato a ser atingido com a participação do empresariado nacional e estrangeiro.

“Daí a necessidade de se capacitar os quadros para melhoria dos serviços e melhor servir”, referiu.

A cooperativa fundada neste sábado, em Luanda, tem 25 membros co-fundadoras, sendo que, dentre outros objectivos, tem como finalidade fomentar o turismo por via do agro-négocio, erradicação da pobreza por todo o país, capacitação dos membros e não só, entre outros.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button