EconomiaGeral

Huíla: Okavango aposta em três postos fronteiriços

Lubango - O Pólo Turistico de Okavango, em parceria com o Serviço de Migração Estrangeiros (SME), vai ainda este ano oficializar a implementação dos postos fronteiriços de Dirico, Mucusso, Buabuata e Bico de Angola, a fim de impulsionar a diversificação da economia e o crescimento do turismo na região.

A informação foi avançada sábado, no Lubango, pelo director-geral do Pólo de Desenvolvimento Turístico da Bacia de Okavango, João Sebastião, durante a apresentação dos planos de acções prioritárias para dinamização do pólo, no II Conselho Consultivo do Turismo que no mesmo dia encerrouna capital huilana.

O gestor declarou que pretendem trabalhar com o Instituto de Estradas de Angola e serviços técnicos municipais para a recuperação dos troços viários que dão acesso ao Dirico, como Calai/Dirico, Dirico/Mucusso, por vincularem a mobilidade para o pólo.

Realçou que pretendem igualmente reforçar a presença de turistas no local, interagindo com as unidades vizinhas, de modo a encaminhá-los para o Dirico, tornando a área mais atraente para os visitantes, bem como a promoção de campanhas de sensibilização junto das comunidades para aceitarem e participarem no desenvolvimento do turismo comunitário.

Outra acção, de acordo com o responsável, cinge-se no desenvolvimento de um roteiro turístico no pólo, que abarca a sede do reino do Sambio, Xamavera e Mpupa, sendo este um potencial destino para o turismo cultural e para o efeito destacá-se um  ponto de paragem para repouso e observação da fauna e flora do local.

A preparação de um plano de participação em feiras em 2020, na Espanha, Portugal, Alemanha, Brasil e África do Sul, assim como a nível nacional em actividades nas províncias do Namibe, Huíla e Benguela e o relançamento da implementação dos projectos iniciados pelo Pólo, interrompidos por falta de financiamento, mas agora reforçados com investimentos público-privados, também constituem prioridades para tornar o local mais atractivo e rentável.

Indicou ainda que o incentivo da criação de uma agência de viagem local e de mais serviços de apoio ao turismo, a selecção de três aldeias para o turismo comunitário e o relançamento do surgimento da actividade agro-pecuária no seio das comunidades, bem como a criação de condições para a oficialização da pesca desportiva no rio Cuito, constituem outras acções em forja.

Destacou que o pólo propõe construir naquela localidade, um destino turístico de excelência na África Subsariana, focado no turismo da natureza e no eco-turismo savalguardando as necessidades das populações locais.

O Pólo Turístico de Okavango, localizado no município de Dirico, na província do Cuando Cubango, foi criado pelo Decreto Presidencial número 56/11 de 24 de Março e ocupa uma área de 11 mil e 972 hectares, na confluência dos rios Cubango e Cuito.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button