Economia

Luchazes clama por reabilitação de estrada nacional

Cangamba - A precariedade da estrada que liga a cidade do Luena à sede do município dos Luchazes (Cangamba) está a condicionar o desenvolvimento sócioeconómico da circunscrição, localizada 347 quilómetros a sudoeste da província do Moxico.

A preocupação foi manifestada hoje (terça-feira), pelo governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, ao balancear à imprensa a visita de cinco dias efectuada àquela municipalidade.

Para o governante, o progresso dos Luchazes passa, necessariamente, pela reabilitação da estrada nacional 174/260 que liga as localidades de Luzí – Cassamba – Cangamba, cujas obras se encontram paralisadas há quatro anos, por falta de verbas.

Disse precisar com urgência que sejam retomadas as obras da referida estrada, num percurso de 155 quilómetros, para alavancar a economia do maior município de Angola, em extensão (43 mil e 444 quilómetros quadrados) e em pobreza, quase desprovido de tudo.

O governador acredita que a asfaltagem da estrada vai cativar os comerciantes, sobretudo do sector agrícola, tendo em conta a existência de terras aráveis, abundantes recursos hídricos e posterior criação de empregos para os jovens da região.

Gonçalves Muandumba apontou como problemas actuais a carência de infra-estruturas administrativas, alojamento para os professores e técnicos de saúde.

Reconheceu que os 25 milhões de Kwanzas que a administração recebe mensalmente, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e de Combate à Fome e à Pobreza, são insuficientes para as prioridades.

PIIM

No âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) para esta circunscrição, foram aprovados seis projectos, nomeadamente, seis sistemas de captação, tratamento e distribuição de água potável, duas escolas T7, igual número de centros de saúde e postos de iluminação fotovoltaica, na sede municipal de Cangamba, nas comunas de Muié e Tempué.

Destas acções, o governador provincial procedeu ao lançamento da primeira pedra para a construção de dois centros de saúde, duas escolas, nas comunas de Muié e Tempué, avaliados em 47 e 118 milhões de Kuanzas, respectivamente.

Programa de Combate à Fome e à Pobreza 

Quanto aos Programas Integrados de Desenvolvimento Local e de Combate à Fome e à Pobreza, as comunas de Tempué e do Muié ganharam um novo sistema de captação, tratamento e abastecimento de água potáve, comportando mecanismo de filtragem e desinfecção de água.

Os referidos sistemas possuem também um reservatório com uma capacidade de mais de 10 metros cúbicos, que sustenta um chafariz com 10 torneiras, beneficiando mais de dois mil habitantes das duas sedes comunais.

Durante a sua estadia nos Luchazes, Gonçalves Muandumba reuniu, em separado, com os jovens, autoridades tradicionais e membros do Conselho de Auscultação do município.

Nos encontros, a população clamou por mais serviços de saúde, saneamento básico, registo civil, acesso a educação e água potável.

Com 13 mil e 649 habitantes distribuídos em quatro comunas: Tempué, Muié, Cassamba e Congombe, o município dos Luchazes faz fronteira com as províncias do Bié e Cuando Cubango, a Oeste e Sul, e com os municípios do Moxico (sede) e Bundas, a Norte e Leste.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Jovem Empreendedor , Sonhador , Estudante Do Curso de Técnico De Informática, Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button