Economia

Partilha de satélite pode desenvolver África

Luanda - A implementação de uma estrutura de partilha do sistema de satélite nos países da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) poderá permitir o desenvolvimento sustentável do continente africano, afirmou hoje o secretário de Estado das Telecomunicações, Mário Oliveira.

África do Sul é o único país da região que possui satélite, ao passo que Angola trabalha na construção do Angosat-2, depois do fracasso do Angosat-1, lançado em 26 de Dezembro de 2017.

O Angosat- 2 já construído a 50 por cento e poderá ser lançado em órbita até 2022.

O engenheiro, que falava na abertura do III workshop de capacitação de satélite da União Internacional das Telecomunicações (UIT) e estrutura para partilha do sistema de satélite da SADC, afirmou que a iniciativa vai permitir que a população tenha acesso à informação de forma rápida.

Referiu que o programa espacial angolano destaca a construção e colocação em orbita do satélite nacional e um vasto programa de formação de quadros, tendo já formado 60 especialistas em Ciência Espacial e outros estão em formação no estrangeiro.

Na óptica do responsável, a formação de técnicos em Ciências Espaciais deve se estender nos demais países da região, para beneficiar o sistema de saúde, educação agricultura e a indústria espacial destes países.

Ao se referir ao encontro, disse ser um passo importante para alavancar a indústria espacial da região da SADC.

Por sua vez, o coordenador sénior da SADC para área da Ciência, tecnologia e Informação, George Ah-Thew, referiu que os países da região estão a traçar políticas que visam a partilha de satélites.

Em termos de infra-estruturas, as zonas rurais dos países da região da SADC há inexistência de serviços de satélite (conectividade de internet, entre outros serviços).

Além da discussão sobre a implementação de estrutura para partilha do sistema de satélite nos países da SADC, este terceiro encontro poderá analisar a questão dos recursos a serem utilizados para aplicação dos serviços satélites fixos, “broadband”, entre outros.

O encontro visa potencializar os países membros da SADC, sobre as ferramentas de comunicação via satélite que estão a ser providenciadas pela UIT, de maneira a assegurar os interesses da região.

Além de Angola, que acolhe esse terceiro encontro, o workshop já foi realizado na África do Sul e Zimbabwé.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Jovem Empreendedor , Sonhador , Estudante Do Curso de Técnico De Informática, Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button