Internacional

Dezenas de Manifestantes foram detidos por distúrbios

Após quatro meses de luta, os protestos continuam pelas ruas da capital francesa e, como já é habitual, os Campos Elísios foram o principal palco dos protestos com muitos manifestantes de “Coletes Amarelos a arremessarem pedras às autoridades, a incendiarem carros e caixotes do lixo e partirem montras de lojas, como foi o caso da Nespressso e Hugo Boss.

Fotografia: DR

As forças de segurança responderam com canhões de água e detenções em massa.
Esta é a 18.ª semana consecutiva de protesto dos “Coletes Amarelos”. Depois de vários sábados onde os ânimos estavam mais controlados, hoje voltaram os violentos confrontos com milhares de pessoas a manifestarem-se contra Emmanuel Macron, um Presidente visto como favorecedor da classe de elite.
Grupos de “Coletes Amarelos” em representação dos professores, desempregados e sindicatos estavam entre os que organizaram dezenas de manifestações e marchas na capital e em toda a França.
As acções marcaram o fim de um debate nacional de dois meses que Macron organizou para responder às preocupações dos manifestantes.
Os manifestantes classificaram o debate como vazio e consideram-no uma jogada de campanha de Macron a pensar nas eleições para o Parlamento Europeu, em Maio.
Os “Coletes Amarelos” protestam contra os altos impostos e contra as políticas de Macron, que consideram estar a proteger as grandes empresas.
No apelo online para os protestos de hoje, os organizadores afirmavam que pretendiam dar sinal de “ultimato” ao “Governo e aos poderosos”.
Cerca de 5 mil homens e seis veículos blindados das autoridades policiais foram mobilizados na capital, onde também foram realizadas várias outras manifestações, em particular uma “Marcha do Século” para o clima.
Demonstrações de “Coletes Amarelos” também foram realizadas nas província de Bordeaux (sudoeste), Lyon (centro-leste) e Montpellier (sul).

Pilhagens e vandalismo
Depois de uma acalmia nas últimas semanas, a violência regressou a Paris hoje de manhã, dia do 18º sábado consecutivo de protestos dos “Coletes Amarelos”, marcado por actos de vandalismo e pilhagens de lojas.
Apesar de o número de manifestantes ter diminuído nos últimos fins de semana, os organizadores esperavam que os protestos possam dar nova vida ao movimento que decorre desde há quatro meses em França.
Os manifestantes lançaram bombas de fumo, petardos e outros objectos contra os agentes ao longo da avenida dos Campos Elísios – cenário de repetidos tumultos – e bateram nas janelas de uma carrinha da Polícia, enquanto outros ergueram barricadas.
O dispositivo da Polícia de choque recuou, assim como um canhão de água, com os manifestantes a pontapear a lateral do grande camião.
Mais tarde, gás lacrimogéneo e o canhão de água foram usados pelas autoridades numa rua lateral para tentar afastar os manifestantes agrupados entre duas lojas.
Num bairro próximo, onde um outro grupo de protesto se reuniu, foi visto um veículo em chamas por um jornalista da AP.
Várias lojas de produtos de luxo na Avenida dos Campos Elísios foram também vandalizadas e pilhadas por pessoas que, segundo o ministro do Interior francês Christophe Castaner, se infiltraram na manifestação do movimento “Coletes Amarelos”.
A agência AP relatou que foi ateado fogo no exterior de uma loja de sanduíches nos Campos Elísios e um veículo foi incendiado junto a estabelecimentos de luxo.
Outras boutiques de marcas de luxo foram vandalizadas e manequins atirados pelas montras partidas.
Também um restaurante famoso, frequentado por várias celebridades e políticos, foi vandalizado pelos manifestantes.

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button