Mais de 800 pessoas detidas nos protestos em Londres

A Polícia londrina deteve até à tarde de ontem 831 pessoas por alegada implicação nos protestos pelo clima, promovidos pelos ecologistas “Rebelião contra a Extinção” desde a última semana, na capital inglesa.

Mais de 800 pessoas detidas nos protestos em Londres
Mais de 800 pessoas detidas nos protestos em Londres

Milhares de ecologistas protestam nas ruas de Londres
Fotografia: DR

Em comunicado, a Scotland Yard revelou que pelo menos 42 dos detidos durante os protestos contra as alterações climáticas nas principais ruas de Londres tinham sido formalmente acusados.
A Polícia metropolitana disse que as estradas de Oxford Circus e Piccadilly Circus, que estavam bloqueadas pelos manifestantes, foram reabertas.
A actriz Emma Thompson e o grupo musical Crystal Fighters participaram nas acções de protesto, que se estenderam ao aeroporto de Heathrow, onde uma vintena de pessoas, muitas crianças, colocaram-se no acesso aos terminais 2 e 3.
Na quinta-feira, três ecologistas foram acusados de terem bloqueado o acesso a uma estação de comboios na capital inglesa. Os protestos conhecidos como “Rebelião contra a Extinção” começaram há oito dias e paralisaram, em alguns momentos, zonas de Londres, com manifestações pacíficas na Ponte de Waterloo, Oxford Circus e outros locais emblemáticos.
Os manifestantes voltaram à rua no sábado, apelando ao Governo britânico para que eleja o combate às alterações climáticas como a principal prioridade.
A Polícia londrina abordou os manifestantes de forma cautelosa, em vez de recorrer ao uso de força, afirmando que respeitava o direito aos protestos pacíficos.
Mesmo assim, foram obrigados a requisitar 200 agentes adicionais às forças vizinhas para controlar a situação e vários polícias tiveram de cancelar as folgas.
“Rebelião contra a Extinção”, que admitiu já estender os protestos por duas semanas, pretende que o Governo de Theresa May declare o estado de emergência climática e ecológica, reduza as emissões de CO2 a zero até 2025 e crie um grupo de trabalho para abordar o aquecimento global.

JA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *