Internacional

Rússia acusada de promover campanha de desinformação sobre coronavírus

Washington - As autoridades norte-americanas dizem que milhares de perfis de redes sociais com ligações à Rússia lançaram um esforço coordenado para causar alarme em relação ao surto viral que teve origem na província de Hubei, no centro da China, em Dezembro.

A ideia, conforme explica o Guardian, será perturbar os esforços globais para combater a epidemia.

Esta campanha de desinformação, dizem as autoridades norte-americanas, promovem teorias da conspiração sem fundamento, que acusam os Estados Unidos de estar por detrás do novo coronavírus  (Covid-19) numa tentativa de fragilizar a posição do país.

“A intenção da Rússia é semear a discórdia e minar as instituições e alianças norte-americanas a partir de dentro, incluindo através de campanhas de influência maligna dissimuladas e coercivas”, afirmou o diplomata Philip Reeker, citado pelo jornal britânico.

Recorde-se que a Rússia proibiu a entrada no seu território aos cidadãos chineses desde quinta-feira na semana passada, uma medida drástica destinada a impedir a propagação da epidemia do coronavírus Covid-19.

O número de vítimas mortais resultantes deste surto viral, que teve como epicentro a cidade de Wuhan, no centro da China, situa-se, nesta altura, nos dois mil e 345, dentro do país. Registaram-se mais três mortes nas províncias ou regiões administrativas de Hebei, Xangai e Xinjiang.

Além dos dois mil e 345 mortos na China continental, morreram cinco pessoas no Irão, três no Japão, duas na região chinesa de Hong Kong, duas na Coreia do Sul, uma nas Filipinas, uma em França, uma em Taiwan e duas em Itália.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Jovem Empreendedor , Sonhador , Estudante Do Curso de Técnico De Informática, Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button