Justiça

Tribunal Supremo ordena soltura de Bonifácio Kuhenha

O Tribunal Supremo ordenou, ontem, a soltura do cidadão Bonifácio Kuhenha, que havia sido condenado a 20 anos de prisão, pelo Tribunal Provincial do Bié, acusado de ter cometido o crime de homicídio.

Tribunal Supremo ordena soltura de Bonifácio Kuhenha
Tribunal Supremo ordena soltura de Bonifácio Kuhenha

Bonifácio Kuhenha vai ficar em liberdade provisória, mediante termo de identidade
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

Depois de Bonifácio Kuhenha ter comprido seis anos de prisão, chegou-se à conclusão de que não houve homicídio, pois a suposta vítima, Daniel Tchali, apareceu vivo.
O Plenário do Tribunal Supremo, após várias discussões, autorizou o Tribunal Provincial do Bié a realizar uma revisão da sentença do caso, bem como a realização de diligências para a recolha de novas provas.
Enquanto decorrer essa fase do processo, Bonifácio Kuhenha vai ficar em liberdade provisória, mediante termo de identidade e residência. O caso, que ficou conhecido como “Morto Vivo”, data de 2012, na fazenda agropecuária da empresa A.C.T, na localidade do Bugalho, comuna do Kunje, província do Bié.
Bonifácio Kuhenha foi condenado a pena de 20 anos no dia 29 de Agosto de 2013, alegadamente por ter confessado a autoria do crime. Após investigações, em 2018, o tribunal que o condenou em primeira instância tomou conhecimento que Daniel Tchali, até então a vítima mortal, encontrava-se vivo. Diante disso, o advogado de Bonifácio Kuhenha recorreu ao Tribunal Supremo, de onde saiu a decisão da soltura do seu cliente. No processo nº 405/013-2ªB, no Tribunal Provincial do Bié, que condenou, em primeira instância, Bonifácio Kuhenha, foram arrolados como réus Sabino Henda, Daniel Ngueve, Gabriel Bule, que foram absolvidos na altura do julgamento.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button