Connect with us

Angola

Miguel Buila leva evangelho à praça da independência

Publicado

em

Com a praça ‘lotada’, Miguel Buila comercializou na manhã deste sábado (02), a sua terceira obra discográfica “Deus me Consola”, recheada de muitos louvores e adorações que dia após dia têm consolado aqueles que apreciam as suas canções, segundo deixaram claro.  

Dificilmente os cantores do estilo gospel protagonizam venda e sessão de autógrafo na praça da independência, mas de algum modo, por motivarem constantemente aqueles que ouvem as suas canções de adorações, são bastante acarinhados, e com Miguel Buila, não foi diferente.

Com sorriso estampado no rosto, cada pessoa que levava o disco para ser autografado manifestava o amor que sente pelo cantor, com palavras de carinho e de agradecimento, pelo facto do mesmo servir como grande conselheiro de suas vidas.

Produzido pela Bom Som Gospel, o álbum “Deus me consola”, contém 16 faixas, 5 delas foram duetos. Participaram do “rebento”, Yola Semedo, Kyaku Kyadaff, Tuapandula Singers, Fábio de Melo e On Gospel. A produção executiva esteve a cargo da produtora Bom Som, do casal cordeiro (Anselmo Ralph e esposa).

De acordo o músico Anselmo Ralph, o mundo gospel foi marcado por muitas músicas que eram vista como produtos sem qualidade, mas que actualmente Miguel Buila e outros artistas têm feito diferente e trazido muita qualidade artística, sonora, de produção e apresentação do produto que elevam a fasquia no mundo gospel em Angola.

O músico tem no mercado, entre outros, os discos “Renovar” e é autor dos temas “No Nosso Mundo”, “Minha Vocação”, “Espírito Santo”, “Nzola Yaye”, “C’est Toi”e “São Pedro”.

Miguel Cristóvão Buila, nascido em 1984, autor do “Renova”, é dono de um timbre inconfundível, considerado, uma das vozes mais sonantes do gospel feito em Angola.

Continue Lendo
Advertisement
Clique Para Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Angola

Macon abre rota internacional Luanda-Kinshasa

Publicado

em

Depois de Luanda -Windhoek, a operadora de transportes rodoviários Macon abre, neste semestre, a sua segunda rota internacional Luanda-Kinshasa (via Luvo), Kinshasa-Matadi e Kinshasa-Yema, na fronteira com a província de Cabinda, anunciou hoje o Presidente do Conselho de Administração da empresa, Luís José Ndapuka Máquina.

MACON APRESENTA NOVA FROTA DE AUTOCARROS

FOTO: ANTÓNIO ESCRIVÃO

De igual modo, a transportadora vai expandir os seus serviços, em breve, na sua primeira rota internacional Luanda-Windhoek, com as linhas Windhoek-Walvis Bay e Oshicango-Katima Mulilo, via Rundo. Porém, em Windhoek, a Macon opera actualmente a linha Windhoek-Oshicango e Windhoek- Katima Mulilo.

Estes novos objectivos resultam dos investimentos da companhia em 55 novos autocarros com capacidade de 48 lugares para o transporte rodoviário interprovincial. Uma frota que entra, a partir de hoje, em actividade em 64 rotas interpovinciais.

Para a aquisição da nova frota, a empresa investiu 6,5 milhões de dólares norte-amercianos. Como resultado da aplicação serão criados, só na rota com a RDCongo, pelo menos 20 novos postos de trabalhos, entre motoristas, cobradores e auxiliares administrativos.

Com a nova aquisição, a empresa constitui uma frota de 648 autocarros. Quando iniciou a sua actividade em  25 de Maio de 200, detinha um total de 25 autocarros urbanos e um quadro de pessoal de 140 trabalhadores.

Hoje, a transportadora emprega dois mil e 910 trabalhadores directos e 650 indirectos. Em 2018, transportou 36 milhões de passageiros urbanos e dois milhões e 400 mil passageiros nas rotas inter-provinciais.

Luís Máquina, ao intervir na cerimónia de apresentação dos autocarros e de abertura do novo terminal de embarque, testemunhada pelo ministro dos Transportes, Ricardo D’Abreu, reconheceu as reclamações dos passageiros, sobre os atrasos nas partidas e avarias dos meios.

Entretanto, disse que a solução dos problemas consiste num esforço conjugado entre o Estado (melhorar as vias) e os operadores (conservar as vias). Mas adiantou que parte dos problemas será resolvido com a nova frota.

Continue Lendo

Trending