AngolaNotícias

O perigo nada saudável dos sumos de caixinha e industrializados – Valéria Sinésio

Os especialistas na matéria de consumo alertam que consumir sumos de caixinha e industrializados podem causar graves problemas de saúde. Em Angola, as empresas produtoras destas ignoram na totalidade as consequências que os seus produtos causam ao consumidor final. Leia na íntegra o artigo de suma importância publicado pelo Jornal da Paraíba.

*Valéria Sinésio
Fonte: JP

Esses alimentos são ricos em açúcares e sódio e podem trazer prejuízos à saúde

Práticos, saborosos e nada nutritivos. É isso que afirmam os nutricionistas sobre os famosos sumos de caixinhas, que são sucesso entre as crianças e não só. Na lancheira da escola, eles aparecem com frequência, mas não deveriam.

 

Os aditivos químicos, como corantes e aromatizantes, além da quantidade excessiva de açúcar, são o principal argumento dos especialistas para alertar os pais sobre essa escolha nada saudável. Dentre os problemas que os sucos de caixinha podem causar ao organismo se destacam a obesidade, a hipertensão e as alergias.

Esses alimentos são ricos em açúcares e sódio, como os demais industrializados, e podem trazer prejuízos à saúde, segundo a nutricionista Alinne Trigueiro. “O sumo de caixinha não é nada bom. Ele tem aditivos químicos e adoçantes, nas versões com menos calorias”, explicou. Muitos pais acham que não, mas o suco de caixinha não tem muita diferença do refrigerante no que diz respeito ao açúcar e ao sódio. O refrigerante tem 20 gramas de açúcares e 11 mg de sódio; o sumo de caixinha tem 10 g de açúcar e 16 mg de sódio.

Em excesso, o açúcar pode causar dificuldade na digestão e favorecer a obesidade. O sódio pode facilitar a hipertensão arterial. Em algumas pessoas, a presença do corante tartrazina pode causar asma brônquica e alergias. “Quando o consumidor tem alguma alergia alimentar, é preciso olhar o rótulo com mais atenção”, declarou a nutricionista.

Os melhores sumos são sempre os naturais e de preferência sem adição de açúcar. “Refrigerantes contêm as chamadas calorias vazias, pois não oferecem nada de nutritivo, apenas calorias e muita química e, portanto, não devem ser consumidos”, explicou a nutricionista. Caso não seja possível fazer o suco de fruta natural, a recomendação é recorrer às polpas, que são mais saudáveis quando feitas em casa. “É importante ler os rótulos e optar pelos que contêm menos açúcares e aditivos químicos”, afirmou.

Para o lanche da escola, a nutricionista orienta aos pais colocar na lancheira dos filhos sumo, frutas e um sanduíche natural, tudo feito em casa. “Quanto mais natural, melhor para a saúde”, disse. Mesmo que as crianças resistam, é preciso insistir. E mais: os pais devem ser exemplos. É difícil recomendar uma alimentação saudável quando se tem o hábito de consumir refrigerantes e industrializados com frequência.

Sumos naturais deve ser sempre a primeira opção

A endocrinologista Vanessa Borba disse que os sumos de caixinha devem ser consumidos com bom senso, “e que os naturais sempre ser a primeira opção”. Segundo ela, em alguns sumos de caixinha, a quantidade de açúcar pode exceder cinco colheres, que passam despercebidas e são ingeridas pela criança. Se mesmo sabendo do risco os pais insistirem em comprar esses sucos, é preferível os de soja, que são menos prejudiciais.

 

A especialista também chamou a atenção para a dupla perigosa suco de caixinha e salgadinhos de pacote. “É um exemplo de lanche calórico, rico em conservantes e sódio, com baixo valor nutricional, que podem contribuir para aumento de peso, da pressão arterial, de gordura e de açúcar no sangue”, frisou. Crianças com excesso de peso, segundo a médica, são as que mais consomem esses produtos.

Mais conscientes, alguns colégios passaram a trabalhar a questão da alimentação saudável dentro da sala de aula, buscando, claro, o apoio da família. No Instituto João XXIII, em João Pessoa, o assunto é abordado na reunião de pais, segundo informou o diretor-geral da instituição, Airton Carvalho. “A gente tenta conscientizar os pais da importância de levar lanche saudável para as crianças. O objetivo é reduzir os industrializados e dar mais espaços a sucos naturais, frutas e outros alimentos mais saudáveis”, declarou.

Uma das estratégias do colégio foi montar um calendário no qual toda sexta-feira tem uma cor diferente. Se a sexta-feira é amarela, por exemplo, os alunos são incentivados a levar frutas dessa cor, como a banana. Se é vermelha, eles levam maça, ameixa e melancia. “É um projeto que tem dado certo e que os pais e alunos têm aderido”, explicou Carvalho. Apesar do esforço da escola, ainda é possível flagrar estudantes consumindo industrializados.

Tags
Mostrar Mais

Ernesto

Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button