DestaquePolítica

Lukamba Gato conta momentos em que foram convocados por Savimbi para reestruturar UNITA

À uma dada altura da luta, na década 90, ficamos sozinhos, sem ajuda externa de nenhuma espécie. O velho Jonas reuniu alguns camaradas para uma reflexão estratégica sobre essa importante matéria. Concluímos que a única saída seria pôr em prática um dos princípios fundamentais do Partido: “Contar essencialmente com as nossas forças”.

Lukamba Gato conta momentos em que foram convocados por Savimbi para reestruturar UNITA
Lukamba Gato conta momentos em que foram convocados por Savimbi para reestruturar UNITA

Um dos responsáveis foi encarregado de visitar demoradamente a Lunda Norte para avaliar as reais possibilidades de sucesso do nosso projecto. Regressou ao fim de 15 dias de trabalho preliminar que permitiu a Direcção do partido ter uma ideia genérica sobre a situação em análise. Seguiu-se depois uma visita de experts em matéria comercial e financeira. O relatório dos experts foi peremptório: liberalizar a actividade de exploração de pedras preciosas e actividades comerciais afins. Tomar medidas complementares como o controlo rigoroso da fronteira com a RDC para evitar a fuga da riqueza do país. Elaborar uma legislação básica para regular essa actividade e proceder a uma ampla difusão da mesma. Encorajar a abertura de comptuários e actividade Comercial formal, bem como a agricultura.

Em pouco menos de um ano os resultados estavam visíveis tanto nas pessoas directamente envolvidas naquelas actividades, população em geral, como para os cofres do partido que cobrava impostos. A Vila Nova/Chikala Colohanga tornou-se rapidamente numa placa giratória ou mesmo uma autêntica “bolsa de valores”. Até de Luanda vinha gente para fazer negócio naquela localidade, pois o Bailundo passou a ter um grande poder de compra devido a um considerável fluxo de divisas.

Conto esta pequena experiência porque sinto que nos tempos que correm, o nosso país passou de um extremo para o outro. Antigamente tudo e mais alguma coisa era permitido. Hoje tudo é proibido, o que cria paralisia geral mas também pode aguçar cada vez mais as artimanhas mais sofisticadas para a fraude de todo o tipo. A vida não pode parar, pois a virtude reside no equilíbrio dos extremos e nunca nos próprios extremos. Não se deve inibir os angolanos de lutar e encontrar caminhos lícitos para ganhar a sua vida. O que é importante é definir REGRAS CLARAS E IGUAIS PARA TODOS que possam regular o exercício das actividades geradoras de receitas. Em seguida, criar mecanismos rigorosos de controlo, fiscalização, tributação e sancionar severamente todos os que estiverem em conflito com as leis. Foi apenas uma reflexão para ocupar o fim de semana.

Fonte: Club-k.net

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button