Mercado angolano atrai capital indiano

A Índia investiu mais de 115 milhões de dólares nos cinco últimos anos em vários projectos, fundamentalmente ligados aos sectores industrial, agrícola  e ferroviário.

Ao centro, embaixador da Índia em Angola e o presidente da APIEX ontem em Luanda

A revelação foi feita ontem, em Luanda, pelo embaixador da Índia em Angola, Sushil Singhal, durante a abertura do seminário de “Capacitação Empresarial sobre o Comércio Internacional e Exportação”. O diplomata garantiu que, neste momento, estão a ser analisadas novas linhas de crédito para Angola visando a compra de medicamentos e suprimentos médicos.
O comércio bilateral entre os dois países atingiu cerca de 7,6 mil milhões em 2013, com o petróleo exportado a constituir a maior parte do comércio.
O embaixador disse que os números do comércio bilateral mostraram uma tendência decrescente ao longo dos últimos anos.
Sushil Singhal lembrou que, durante a terceira Cimeira Índia-África, realizada em Nova Deli, em Outubro de 2015, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou uma linha de crédito de dez mil milhões de dólares e uma doação de 600 milhões de dólares no quadro do Fundo de Desenvolvimento de África e Índia.
Na mesma vertente, a Índia disponibilizou dez mil bolsas de estudo, que vão ser entregues a estudantes africanos nos próximos cinco anos.
Os produtos de interesse imediato para Angola, abrangidos pelo acesso preferencial ao mercado, incluem os sectores agrícola, mineiro, pesqueiro e diamantífero.
O embaixador disse que os empresários indianos investem em Angola nos sectores do metal, imobiliário, construção, vestuário e hospedaria.
O primeiro-ministro indiano quer igualmente ver esses projectos desenvolvidos e expandidos nas áreas da mineração, agricultura, pescas, tecnologias de informação, ensino superior, cuidados de saúde e produtos farmacêuticos. Desta mesma forma, o embaixador espera que os empresários angolanos se beneficiem das oportunidades económicas apresentadas pela Índia e invistam liberalmente para que a parceria entre Índia e Angola continue a ser consolidada e bem sucedida.

Bolsas de estudo
O embaixador garantiu que a Índia está a fornecer a Angola 30 bolsas de estudo para cursos de engenharia.
No ano passado, sublinhou, houve um aumento das trocas comerciais entre os dois países, o que permitiu que o Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, acompanhado por uma delegação, participasse na Cúpula do Fórum da Índia em 2015. Neste encontro foi aprovada uma assistência financeira e técnica.
Sushil Singhal ressaltou que, enquanto Angola é dotada de recursos petrolíferos e minerais e grandes extensões de terras, a Índia dispõe de capital financeiro e humano, bem como conhecimentos técnicos para fornecer soluções rentáveis a Angola, enquanto parceiro comercial.
As relações entre a Índia e Angola, disse o embaixador, estão assentes em bases sólidas. Se o primeiro é um dos três principais parceiros comerciais de Angola, este é o segundo maior fornecedor de petróleo à Índia na região da África subsahariana.
O embaixador reconhece que, desde o declínio dos preços internacionais do petróleo em 2014, o Governo angolano está a envidar esforços para diversificar a sua economia, incentivando o investimento privado e o empreendedorismo.
Sushil Singhal defende a necessidade de expandir a agricultura para que as importações de alimentos sejam reduzidas e se incentivem as exportações de bens agrícolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *