DestaquePolítica

MPLA realiza Congresso com os olhos virados para o futuro

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, pediu ontem, em Luanda, aos militantes para continuarem a reforçar o trabalho partidário com ideias inovadoras, para que o partido seja cada vez mais forte, moderno, dinâmico e democrático.

MPLA realiza Congresso com os olhos virados para o futuro
MPLA realiza Congresso com os olhos virados para o futuro

Militantes do MPLA exortados a estarem preparados para abraçarem uma nova estratégia para vencer os próximos desafios
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

Luísa Damião falava aos militantes durante o pré-congresso, que serviu para fazer os últimos preparativos do VII conclave extraordinário do MPLA, que decorre hoje sob o lema “MPLA e os novos desafios”. A alteração pontual dos Estatutos do partido e o alargamento do Comité Central, com a presença de mais jovens e mulheres, são os principais assuntos em discussão.
A “número dois” na hierarquia do partido maioritário apelou também aos militantes a estarem preparados para abraçarem uma visão estratégica, unirem sinergias e inteligências para vencer os desafios do presente e do futuro. A vice-presidente do MPLA pediu, igualmente, a contribuição de todos os militantes para que o partido saia mais forte deste Congresso e assuma o compromisso de corresponder aos anseios e aspirações dos angolanos.
Luísa Damião convidou a todos para que estejam preparados para os novos desafios políticos, eleitorais e da governação. Os militantes, exortou, devem continuar a dar o seu contributo e aproveitar ao máximo os pontos fortes que têm sido pilares fundamentais em todo o percurso de luta em que o MPLA esteve envolvido.
O MPLA, segundo a vice-presidente, realiza o VII Congresso Extraordinário centrado no reforço da unidade e coesão e, sobretudo, na afirmação da liderança do líder do partido, João Lourenço.
Durante o Congresso, o Comité Central do MPLA será alargado com mais 134 novos membros, deixando de ter os actuais 363 e passando para 497 membros. Luísa Damião disse que o Comité Central vai contar com 61 por cento de jovens e 42,53 por cento de mulheres.
A vice-presidente do MPLA disse que o partido conta com a juventude para os desafios do futuro. “Os jovens muitas vezes identificam os problemas que temos e também têm as soluções. Então, queremos contar com este conhecimento dos jovens que poderão ser uma mais-valia para o partido”, esclareceu.
Reis Cuanga, membro do Comité Central, realçou o facto de, no Congresso, ser feita uma alteração pontual aos Estatutos e o alargamento do Comité Central, que conta agora com mais jovens. Para Reis Cuanga, a entrada de mais jovens vai enriquecer o debate no seio da direcção do MPLA e permitir que franjas importantes da sociedade possam dar o seu contributo para que se encontrem soluções para os problemas do país e dos cidadãos.

Exposição fotográfica

Na entrada principal do Centro de Convenções de Belas, onde decorre o conclave, está exposta uma galeria com fotografias dos cinco presidentes da história do MPLA, nomeadamente Ilídio Machado, Mário Pinto de Andrade, Agostinho Neto, José Eduardo dos Santos e João Lourenço.
O secretário para a Informação do MPLA, Paulo Pombolo, deixou claro que entre os assuntos a serem discutidos durante o Congresso não consta uma homenagem aos primeiros presidentes do partido, sublinhando, entretanto, que a exposição não deixa de ser uma homenagem. “Foi através deles que o MPLA continua forte, coeso e dinâmico, sobretudo agora com a liderança de João Lourenço”, referiu.
Com a exposição, esclareceu, o MPLA pretende dar a conhecer mais a figura dos primeiros presidentes do partido. “A galeria presidencial serve para mostrar que, além de Agostinho Neto, José Eduardo dos Santos e João Lourenço, o MPLA teve outros presidentes”, disse Pombolo, lembrando que, no discurso proferido no último Congresso, João Lourenço tinha sublinhado que é o quinto Presidente do partido. Paulo Pombolo informou que o MPLA está a preparar uma conferência internacional em que várias figuras vão falar da trajectória do partido.

Reforço da unidade

O primeiro-secretário provincial de Benguela do MPLA, Rui Falcão Pinto de Andrade, é daqueles que considera que o VII Congresso Extraordinário vai reforçar a unidade do partido.
Para o também governador provincial de Benguela, o conclave de hoje é mais um momento de proximidade e de concertação de ideias para o bem do país. Relativamente à exposição fotográfica sobre os presidentes do MPLA, Rui Falcão disse tratar-se de um “gesto nobre do partido”. A questão que pode ser levantada é de que este reconhecimento chega tarde. Mas o político considera que “mais vale tarde do que nunca”.
Por seu turno, o deputado Vicente Pinto de Andrade, primo de Mário Pinto de Andrade e de Ilídio Machado, considerou que os homenageados estão a ser postos no lugar que lhes é devido na história do MPLA.
Para Francisco de Castro Maria, Ilídio Machado e Mário Pinto de Andrade são figuras que desempenharam um grande papel na promoção e crescimento do MPLA. “Acredito que este reconhecimento lhes é merecido em função do perfil político de cada uma destas figuras”, considerou.
Francisco de Castro Maria aguarda com grande expectativa a realização, hoje, do VII Congresso Extraordinário do MPLA, uma vez que o partido tem grandes responsabilidades sobre o país. Castro Maria explicou que um dos desafios do MPLA é a participação, no próximo ano, nas eleições autárquicas, as primeiras da história do país.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button