Política

Presidente José Eduardo dos Santos quer transparência nas eleições

“Que cada um, com o seu voto, faça livremente a escolha dos dirigentes que entendem que devem governar o país”, afirmou o líder angolano, quando orientava a cerimónia de abertura do ano legislativo da Assembleia Nacional, onde apresentou a Mensagem sobre o Estado da Nação.

Recomendou que não só o Estado, mas também os partidos políticos, a sociedade civil, as igrejas e todos os cidadãos assumam com responsabilidade o seu papel, para que o processo seja realmente democrático, livre e decorra com normalidade e de modo exemplar.

Segundo José Eduardo dos Santos, com a realização de novas eleições, novas propostas de candidatos aos mais altos cargos do país vão surgir.

“Vamos consolidar o nosso processo democrático, que é irreversível, para que nele surjam e se afirmem aqueles que estejam em melhores condições de conduzir os destinos do país. Que eles possam corresponder às expectativas do povo angolano, no sentido de continuar a ter uma vida cada vez melhor”, acrescentou.

Explicou, entretanto, que determinados processos eleitorais que ocorrem no Continente africano e que deveriam ser factores de estabilidade democrática, estão a ser convertidos, quer através da contestação directa dos seus resultados, quer através da tentativa de alteração da ordem constitucional, em autênticos viveiros de instabilidade, de repercussões e consequências imprevisíveis, tanto para os respectivos países, como para as respectivas sub-regiões.

Neste contexto, o estadista defendeu que sejam mantidos e reforçados os princípios da União Africana, sobre o não reconhecimento dos governos resultantes de processos anti-constitucionais e sobre os mecanismos de acompanhamento e fiscalização dos processos eleitorais.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button