Política

Samakuva: daqui não saio daqui ninguém me tira!

A decisão sobre a permanência ou saída de Samakuva à frente da UNITA continuava até ontem no segredo dos deuses. Durante os trabalhos da terceira reunião da Comissão Política da UNITA nada transpirou à imprensa presente no complexo do Sovsmo, arredores de Viana, onde decorre o encontro.

Comissão Política deve divulgar hoje a continuidade ou saída de Isaías Samakuva da liderança da UNITA
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

Dos temas em discussão durante três dias, a questão Samakuva é a que está a causar mais divergências, abrindo brechas para a existência de uma ala que o quer até ao fim do mandato, em 2019, e outra que defende um rosto novo.
Ontem nada transpirou à imprensa e até à altura em que os jornalistas deixaram o complexo do Sovsmo em Viana, onde decorre o encontro, perto das 17h00, nada tinha sido dito pelos responsáveis do partido.
Os resultados produzidos ao longo destes três dias de trabalhos serão apenas divulgados hoje, segundo o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala.
A permanência ou saída de Isaías Samakuva da liderança do segundo maior partido na Assembleia Nacional, por sinal uma questão fracturante entre militantes, está, por enquanto, blindada a sete chaves.
Ontem à tarde, altura prevista para a divulgação das deliberações saídas da reunião da Comissão Política, o partido fez silêncio e a imprensa saiu do local com apenas um pedido de desculpas do porta-voz, Alcides Sakala, pela longa espera sem quaisquer informações consolidadas.
Sakala afirmou, no início da reunião, na quinta-feira, que em relação à continuidade ou não de Samakuva à frente dos destinos do partido haviam posições que apoiavam a sua manutenção e outras que defendiam ser hora de buscar outro rosto para os novos desafios.
De recordar que foi o próprio Isaías Samakuva quem manifestou o desejo de deixar a liderança da UNITA depois das eleições de 23 de Agosto.
“Afirmei aos angolanos, antes e durante a campanha eleitoral, que depois das eleições deixaria o cargo de presidente da UNITA para servir o partido numa posição diferente. Mantenho e reafirmo esta decisão”, disse Samakuva na ocasião. Sakala assegurou que, apesar disso, o partido não tem quaisquer problemas internos.

Atrasos

O partido tinha  comunicado ontem o início dos trabalhos da terceira reunião ordinária da Comissão Política para as 10h00.
Postos no local, após uma longa espera, foi comunicado à imprensa que a reunião tinha sido remarcada para as 16h00.
A reunião girou em torno de questões da vida interna do partido, designadamente o calendário político para 2018, o orçamento e contas do partido e sobre o momento para a eleição do presidente e demais órgãos de direcção.
O que se pretendeu com a reunião, segundo o partido, é produzir decisões que contribuam para criar uma nova dinâmica no seio da UNITA a olhar para os próximos desafios e para o que chamam de consolidação do movimento da mudança.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button