Saúde

Centro Oftalmológico vai realizar mais de 100 cirurgias por semana

Dezasseis pacientes com cataratas foram ontem submetidos a uma intervenção cirúrgica no Centro Oftalmológico de São Marcos, no bairro Capolo 2, município do Ki-lamba Kiaxi, em Luanda.

Centro Oftalmológico vai realizar mais de 100 cirurgias por semana
Centro Oftalmológico vai realizar mais de 100 cirurgias por semana

Centro tem capacidade para atender, em média diária, entre 20 e 25 pacientes nas consultas de Oftalmológia e Optometria
Fotografia: André da Costa | Edições Novembro

O centro ,vocacionado a tratamento da saúde visual, inaugurado ontem, pertence ao Hospital Divina Providência, afecto à Igreja Católica, e trabalha em colaboração com a Solidariedade Evangélica. Semanalmente, vai passar a efectuar 100 intervenções cirúrgicas.
A directora da unidade sanitária, Sofia Vanda, informou que o centro tem capacidade para atender, em média diária, 20 a 25 pacientes nas consultas de oftalmologia, optometria e igual número de pacientes com cataratas.
Para o tratamento de pacientes, disse que o centro conta com a colaboração de médicos especialistas angolanos e brasileiros. Acrescentou que o Hospital Divina Providência disponibilizou quatro terapeutas para reforçar os cuidados de saúde visual, tal como outros profissionais afectos à Solidariedade Evangélica.
“O Hospital Divina Providência não dispõe de capacidade suficiente de recursos humanos para atender a procura, daí a necessidade de se ter recorrido aos especialistas da Solidariedade Evangélica”, disse. O Centro Oftalmológico São Marcos dispõe de salas para cuidados visuais, de atendimento para consultas de optometria, oftalmologia, pré-operatório e um bloco operatório para efectuar cirurgias de remoção de cataratas.
A responsável do centro esclareceu que, neste mo-mento, os pacientes estão a ser atendidos em regime am-bulatório, salientando que, após a realização das cirurgias, regressam a casa e só no dia seguinte regressam para a reavaliação médica pós-operação e realização de novas operações.
Vanda Sofia disse que a escassez de material gastável preocupa a direcção do centro e que se não for reposto a tem-po corre-se o risco de uma ro-
tura do stock, o que, segundo ela, pode contribuir para a redução do atendimento dos pacientes, o que seria mau.

Enchente

Ontem, primeiro dia de atendimento ao público, dois médicos expatriados e cinco enfermeiros atenderam apenas 16 pacientes em consultas de oftalmologia, optometria e cirurgias para remoção das cataratas.
No centro, estiveram presentes mais de 50 pacientes que procuravam pelos serviços médicos, muitos dos quais idosos com problemas de cegueira grave, necessitando com urgência destes serviços.
O director do Hospital Divina Providencia, padre Fernando Alves, afirmou que o Centro Oftalmológico São Marcos surgiu no âmbito da parceria entre o Hospital Di-vina Providência e a Solidariedade Evangélica.
“O centro vai-se dedicar à melhoria dos cuidados de saúde visual dos cidadãos, dando maior primazia às cirurgias de cataratas, onde se pretende cicatrizar milhares de pacientes que padecem dessa doença”, precisou.
O secretário-geral da Organização Solidariedade Evangélica, Serafim Quintino, explicou que a sua organização está comprometida com a luta de doenças negligenciadas, como a cegueira e a lepra, e nesta empreitada conta com o apoio de organizações internacionais.
A Solidariedade Evangélica é a responsável pelo Centro Oftalmológico de Benguela, que realiza consultas e cirurgias para remoção de cataratas.
“Firmámos parceria com o Hospital da Divina Providência para a abertura deste Centro Oftalmológico São Marcos, no sentido de permitir que mais pessoas tenham acesso aos cuidados de saúde visual. Depois de Benguela, agora é a vez de Luanda”, sustentou.
Serafim Quintino acrescentou que a instituição prevê formar médicos e enfermeiros na área de oftalmologia, devido à carência de técnicos especializados no país.
A directora do Instituto Oftalmológico Nacional, do Ministério da Saúde, Luísa Paiva, considera uma mais-valia o surgimento do centro oftalmológico para os cidadãos que pretendem ver resolvidos problemas relacionados com a visão.
Luísa Paiva disse que os casos mais graves de cirurgia a serem detectados no centro podem ser encaminhados para o Instituto Oftalmológico Nacional, de modo a dar-se respostas adequadas e admitiu que o surgimento do centro irá desafogar esta instituição afecta ao Ministério da Saúde.
“Estou satisfeita pelas condições criadas, desde a triagem visual, consultório médico, sala de cirurgia de cataratas e de outras enfermarias. As salas de trabalho da equipa médica e enfermeiros estão bem equipadas”, elogiou a responsável.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button