Saúde

Há sinais de alarme que não devem ser ignorados

Uma gota de sangue na sanita é sinal de que nem tudo está bem dentro do corpo. E há outros sinais de alarme que não devem ser ignorados quando aumentam as idas à casa de banho. Até porque o cancro da bexiga pode expressar-se de várias formas.

Há sinais de alarme que não devem ser ignorados
Há sinais de alarme que não devem ser ignorados

Fotografia: DR

Sangue na urina é o sintoma mais comum e, muitas vezes, não há outra sintomatologia associada. Há também sintomas que se confundem com uma infecção urinária sem gravidade. Daniel Romeira, oncologista no Hospital Lusíadas de Lisboa, avisa que “pode ocorrer desconforto associado à perda de sangue em casos de obstrução das vias urinárias por coágulos e em tumores localmente avançados. Podem também surgir sintomas de irritação e esvaziamento, como a frequência urinária (aumento do número de micções), a urgência urinária e o ardor a urinar.”
Em casos avançados da doença, há outros sintomas como a perda de peso e de apetite, febre, sudorese, cansaço, dor e edema. O tabaco é o perigo maior. Os fumadores têm três vezes mais risco de desenvolver esta condição. “Há uma correlação clara entre a quantidade de cigarros fumados e o risco de cancro da bexiga”, garante Daniel Romeira.
Há mais perigos à espreita. “Estão também descritos alguns agentes químicos que aumentam o risco de cancro da bexiga, nomeadamente em funcionários da indústria da borracha, têxtil, tintas e corantes capilares, devido à elevada exposição a uma família de compostos químicos denominados arilaminas”, revela o oncologista. Após esta descoberta, tenta-se neste momento diminuir o uso desses compostos.
A ciência continua a investigar este tipo de cancro e sabe-se que um aumento na quantidade de líquidos ingeridos, sobretudo água, pode ajudar a diminuir o risco de cancro da bexiga. Em relação à alimentação, a evidência ainda não está bem definida.
“Contudo, alguns estudos apontam para que uma dieta rica em frutos e vegetais possa ajudar à diminuição do risco de cancro da bexiga. Em geral, apostar num estilo de vida saudável, com uma alimentação saudável e exercício físico, ajuda também na prevenção de outros tipos de cancro”, sublinha Daniel Romeira.
O uso abusivo de analgésicos, sobretudo contendo fenacetina, um familiar do paracetamol, pode também aumentar o risco de cancro da bexiga.
Há estratégias de tratamento mais clássicas como a cirurgia, a quimioterapia ou a radioterapia. Mais recentemente surgiram outras abordagens.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button