Saúde

MINISTRA DA SAÚDE ADMITE SURTO DE MALÁRIA EM BENGUELA

A ministra da Saúde de Angola admitiu hoje que as chuvas abundantes que caem sobre a província de Benguela, que causaram pelo menos 16 mortos, podem originar «novos casos de malária», mas garantiu que a «situação sanitária está controlada».

«Do ponto de vista da saúde, em Benguela, e da assistência médica e medicamentosa, estamos a cumprir o nosso papel e em termos de saúde a situação está controlada. Acreditamos que tenhamos mais casos de malária», disse hoje Sílvia Lutucuta, em Luanda.

Questionada em conferência de imprensa sobre o apoio que está a ser prestado às populações afetadas pelas chuvas abundantes, na província angolana de Benguela, que no dia 16 de março causaram 16 mortos e o desabamento de várias residências, afirmou que o setor «respondeu prontamente».

Sobre a ajuda humanitária que Angola está a prestar a Moçambique, com assistência médica e medicamentosa, devido ao ciclone Idai que vitimou pelo menos 447 pessoas e deixando mais de 700.000 afetadas «quando em Benguela se alegam carências», Sílvia Lutucuta disse tratar-se de “situações distintas”.

«Em Benguela, ao contrário de Moçambique, nós ainda conseguimos ter as nossas unidades sanitárias preservadas, não foram afetadas minimamente, uma inundação, mas não foi uma situação tão dramática como em Moçambique», explicou. Mas, observou, «havia meios e recursos para tratamento dos doentes».

«Mesmo assim, enviámos dois contentores com bastantes medicamentos e com material gastável e fomos os primeiros a chegar a Benguela», assinalou.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button