Saúde

SIDA AUMENTA VERTIGINOSAMENTE EM ANGOLA

Luanda, Lunda Norte, Lunda Sul, Cuando Cubango e Cunene são as províncias de Angola onde o número de portadores do vírus de VIH-Sida aumenta vertiginosamente, situação que preocupa as autoridades sanitárias do país.

A inquietação foi expressa pelo secretário executivo da Rede Angolana das Organizações de Serviços de Sida (Anaso), António Coelho, que apontou a grande concentração populacional na capital do país, Luanda, como um dos factores da disseminação da epidemia.

Nas províncias da Lunda Norte, Lunda Sul (Leste), Cuando Cubango e Cunene (Sul), o alastramento da doença deve-se ao fluxo de cidadãos estrangeiros nas zonas de garimbo de diamantes e a grande circulação de pessoas junto às fronteiras com as repúblicas do Congo Democrático e da Namíbia, respectivamente.

“A situação da Sida no país é preocupante do ponto de vista geral e dramático em algumas regiões do país”, disse António Coelho, à Angop, precisando que neste momento a sua associação controla 95.850 pessoas vivendo com o vírus do VIH-Sida.

Dessa cifra, 62.580 fazem uso de medicamentos retrovirais, sendo que 33% de pacientes abandonam o tratamento, uns devido a incapacidade alimentar para suportar a acção dos remédios, e outros por causa das longas distâncias que têm de percorrer até aos locais de cura.

Por outro lado, mostrou-se impressionado com o aumento da epidemia entre os homens que fazem sexo entre si (3%), trabalhadoras do sexo (7%), e nos presidiários (5%).

Referiu que a situação aconselha a redefinição da estratégia de actuação da Anaso, que até agora estava focalizada ao epicentro da enfermidade (adolescentes e jovens dos 15 aos 24 anos de idade).

Marcha de solidariedade com os portadores do VIH-Sida

Entretanto, a Anaso promove neste sábado (2) em Luanda, uma marcha de solidariedade com os doentes de Sida, sob o lema “Direito à saúde, mbora fazer o teste de VIH”, em alusão ao Dia Mundial da SIDA, que desde 1988 é celebrado a 1 de Dezembro.

Segundo António Coelho, a organização espera que na caminhada participem cerca de cinco mil pessoas de todos os estratos sociais, com trajo de cor branco.

A marcha parte da Cidadela Desportiva, percorrendo a Avenida Hoje Ya Henda até ao Largo Zé Pirão, tomando depois a rua Ho Chi Minh, devendo culminar no Largo da Independência, num percurso de cerca de quatro quilómetros.

No local, haverá um acto público que será presidido pela ministra da Saúde, Sílvia Paula Valentim Lutucuta, com o propósito de despertar a consciência da sociedade em relação aos perigos que a Sida representa.

Criada em Agosto de 1994, a Anaso é uma organização de âmbito nacional e representada em todas as províncias do país, através de pontos focais. Actualmente controla 34.800 activistas e agentes comunitários de saúde.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button