Sociedade

Agentes da Polícia acusado de roubo de 100 mil Kwanzas de turista na Ilha de Luanda

Caros amigos e compatriotas de caminhada, desta nossa Angola amada. Hoje, 19 de Abril de 2019, Sexta-feira Santa, mais uma vez senti-me violentado pela nossa Polícia Nacional.

Fonte: Club-k.net

Agentes da Polícia acusado de roubo de 100 mil Kwanzas de turista na Ilha de Luanda
Agentes da Polícia acusado de roubo de 100 mil Kwanzas de turista na Ilha de Luanda

Os nossos conhecidos Pin e Puk, fardados a rigor com coletes à prova de bala e metralhadoras ao peito, na ponta da Ilha do Cabo, já no retorno perto do antigo restaurante Barracuda, depois das 15horas, assaltaram três meus amigos.

Sim, assaltaram três amigos!

Roubaram 100mil Kwanzas, mas fizeram tudo para roubar 400mil.

Os meus amigos, todos estrangeiros, dois com visto de turista e um com visto de trabalho e que trabalha fora de Luanda, tinham ido beber um café a um restaurante na entrada da Ilha e resolveram ir dar uma volta turística à ponta da Ilha do Cabo.

Também não se aventuraram a ir mais longe pois estavam a guiar-se pelo GPS, ferramenta importante para um turista ou um estrangeiro que não conheça a nossa querida cidade de Luanda.

Aproveito para fazer um parênteses no meu desabafo/denúncia: Se calhar faz sentido proibir dar voltas turísticas na Ilha do Cabo dada a quantidade de lixo espalhado pelas praias e passeios. E estes meus amigos e por efeito cascata a quem eles contarem este assalto nunca mais voltarão à Ilha do Cabo.

Mas voltando ao assalto perpetrado por quatro agentes (meliantes perigosos organizados em quadrilha) da nossa Polícia Nacional.

Vou contar como a história se passou, a quente pois o assalto levou cerca de três horas.

Depois de feito o retorno na ponta da ilha, ao Farol Velho, os meus amigos seguiam nas calmas, a apreciar a paisagem e a brisa marinha, quando quatro assaltantes bem armados e fardados com o uniforme da Polícia Nacional, montados em duas motorizadas, vulgo Pin e Puk, fizeram uma abordagem ao veículo, privado, da minha empresa e que autorizei que os meus amigos conduzissem com papel passado, assinado e carimbado como manda o figurino.

De olhos arregalados, pediram a documentação e ficaram com os passaportes e documentos da viatura. Disseram que turista não pode conduzir carros de empresas privadas, só se forem alugados.

Sem delongas nem meias medidas, pediram quatrocentos mil Kwanzas para devolverem os documentos. Qual retórica de combate à corrupção! Directos ao ponto! Queremos o kumbú!

Os meus amigos negaram-se a dar e os assaltantes fardados com o uniforme da nossa Polícia Nacional, obrigaram a irem com eles até a uma Esquadra Móvel da Polícia Nacional, perto do antigo Hotel Panorama.

Poderia parecer sério, mas a verdade é que se trata de crime organizado. Pois a quadrilha não estava a actuar sozinha. A Esquadra Móvel da nossa Polícia Nacional dá/deu cobertura ao assalto à mão armada!

Depois de muita intimidação, mais ou menos duas horas, e como não havia dinheiro nos bolsos dos meus amigos, surgiu a ideia de um dos assaltantes de ir a um multicaixa! Azar dos assaltantes fardados de Polícia Nacional (pensaram os meus amigos), pois apenas o meu amigo com visto de trabalho tem cartão multicaixa, mas tinha deixado na casa de passagem da empresa, perto da Sagrada Família.

Estavam safos pensaram, pois não haveria alternativa e a Polícia Nacional ia deixar seguir sem nada nas mãos.

Engano total dos meus amigos. Os quatro assaltantes com o uniforme da Polícia Nacional, bem armados e com coletes à prova de bala, disseram que não havia problema, que os escoltavam até onde fosse necessário. E assim foi. Foram até à casa de passagem da empresa, depois ao multicaixa (com dinheiro) perto da Sagrada Família e em plena luz do dia e na via pública, receberam cem mil Kwanzas, o máximo que dois cartões multicaixa dão e devolveram os documentos aos meus amigos selando o fim do assalto como quem acaba de assinar um protocolo (neste caso só se for de anti-turismo em Angola).

Consumado o assalto. Sorriso nos lábios e com ar de dever cumprido, a quadrilha de assaltantes perigosos, bem uniformizados, com a farda da Polícia Nacional, coletes à prova de bala e metralhadoras ao peito, aceleraram as motorizadas também da Polícia Nacional e seguiram prontos para outro assalto.

Assim estamos nós a incentivar o turismo e a facilitar os vistos em dezenas de países, para depois termos esta situação altamente bem consertada entre diversos agentes da nossa Polícia Nacional.

Continuação de bom Fim-de-semana Santo,
Ivo Pizarro

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button