Sociedade

Ainda Sobre a Suposta filha de João Lourenço

Isabel Sidraque: “Minha filha é do PR. Não sou nenhuma louca para dizer isso”

Isabel da Conceição Sidraque, mais conhecida por Sandra, diz, em entrevista a este jornal, que em 1984 teve uma relação amorosa com o Presidente da Republica, João Lourenço, na província do Bengo. Desta relação, conforme relata, resultou o nascimento de uma menina que tem hoje 34 anos, mas que não conhece o pai. É a jovem, que também já apresentou os seus argumentos, à espera que o PR assuma a paternidade.

*João Francisco
Fonte: O Crime

“O Mimoso vai lembrar de mim, como Sandra a mulata”

Ainda Sobre a Suposta filha de João Lourenço
Ainda Sobre a Suposta filha de João Lourenço

Quem é a senhora?

Sou a Isabel da Conceição Sidraque, mais conhecida por Sandra, nascida a 01 de Janeiro de 1966.

Como conheceu João Lourenço?
Antes, conheci-o em Luanda, na Igreja Metodista, porque os pais foram crentes e também congregavam lá. A partir daí, deixei de viver em Luanda e fui viver no Bengo, onde era professora e tínhamos actividades de levar a juventude às províncias, principalmente em actividades do partido, mas foi no Bengo onde nos conhecemos melhor.

Em que ano?
Isso foi em 1984.

A senhora lembra-se da actividade em que se conheceram?
Foi numa actividade de massa da JMPLA.

O que é que ele tinha ido lá fazer?
Ele, na altura, era militar, não me lembro ao certo da patente, mas esteve lá como militar.

Não desempenhava alguma cargo político?

Não sei.

O que é que lhe pode dizer para que ele se lembre da senhora?
Acredito que basta ele me ver que se vai lembrar de mim. Na altura, eu fui mais clarinha e uma mulher muito bonita… mas como vê já passou algum tempo. Mas acho que se ele me vir vai lembrar-se de mim, da Sandra mulata.

De lá para cá, já tentou contactá-lo?

Depois do envolvimento, eu não sabia que estava grávida mas, quando a minha prima me disse que estava grávida, já em Malanje, porque tinha que fazer o curso de pedagogia e fui transferida para Malanje, tentei procurá-lo, não o encontrei. Fui para o Huambo e Cabinda, nada, lembro-me, até, que em Cabinda encontrei o camarada Leão e disse-me que já não estavam lá. Mais tarde, ouvi que já tinha saído do país.

Na altura, já ele estava com a Primeira-dama?
Sabia que tinha alguém, mas não sei se é a actual mulher.

Sabe dizer onde é que ele vivia?
Sei que na altura vivia na Vila Alice.

Disse que soube que estava grávida por intermédio de uma irmã, e tempos depois.
O que lhe garante que é com o PR?

Minha filha é do Mimoso, porque foi a única pessoa com quem namorei. Se tiver alguma dúvida… ainda estou viva para tirá-las. Por outro lado, não sou nenhuma maluca e muito menos louca para vir até aqui falar isso sem certeza.

Nunca recebeu a visita dele ou de um familiar?

Não, nunca recebi. Eu só é que estava à procura dele, fui procurar com a bebé ao colo, em Benguela, Cabinda, aqui em Luanda, no Ministério da Defesa, para saber se era possível ter contacto com ele. Depois parei e deixei de me interessar nisso. A minha irmã é que acabou contando na menina sobre quem era o seu verdadeiro pai, a partir daí ela começou a procurar também. Minha filha, hoje, também já é mãe, tem seus filhos e precisa de saber quem é o seu pai.

Sabe se o PR tem conhecimento da existência desta filha?
Até hoje não sei se ele tem conhecimento da existência da minha filha.

Por que razão só agora decidiu tornar público?
Decidimos tornar público só agora porque vários contactos que fizemos foram inglórios e todo o mundo nos ignorou. Como a minha filha, como qualquer outra cidadã, tem o direito de ter ou ser reconhecida pelo seu pai biológico, aqui estamos.

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button