AngolaSociedade

CNJ pede subida de taxas para inibir uso de álcool

O Conselho Nacional da Juventude (CNJ) defende que o Estado angolano deve apostar numa educação de qualidade para adolescentes e jovens, no sentido de combater o consumo excessivo de bebidas alcoólicas no seio destes grupos e fazer com que a sociedade compreenda melhor as consequências negativas na vida.

CNJ pede subida de taxas para inibir uso de álcool
CNJ pede subida de taxas para inibir uso de álcool

Uso abusivo de álcool tem comprometido o futuro de muitos adolescentes e jovens no país
Fotografia: Dr

Em alusão ao Dia Internacional da Juventude, que se assinala hoje, o CNJ em parceria com a Comissão Nacional da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) realiza, em Luanda, um seminário sobre “O uso e o consumo de bebidas alcoólicas pela juventude”.
O vice presidente do CNJ, Massangano Domingos, afirmou ao Jornal de Angola que a moderação no uso de bebidas alcoólicas pode ser resolvida se o país agravar as taxas de importação e de produção no país.
“Quanto maior for o preço, mais dificuldades para adquirir a bebida alcoólica”, disse, para acentuar que uma medida para subir os preços inibe a facilidade que muitos jovens têm de consumir excessivamente estas drogas leves.
Massangano Domingos lembrou que Angola tem uma sociedade maioritariamente jovem, que deve ser instruída para o desenvolvimento sustentável, no âmbito do Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN).
O mundo comemora, este ano, a data sob o lema “Transformar a Educação”, o que pressupõe, na visão do activista, que os países devem fazer grandes investimentos no sector da Educação, para a transformação da sociedade.
Ao justificar o combate a bebidas alcoólicas, com realização de eventos que desencorajem o seu consumo excessivo, apontou ser fundamental que haja mais empregos e espaços de lazer para ocupar o tempo livre dos jovens.
“Os dados estatísticos indicam que 28 por cento da população está desempregada e uma percentagem maior está sem escola. Esta deve ser uma preocupação que o país deve assumir, para garantir um melhor desenvolvimento social da juventude”, acrescentou.
Segundo a nota da UNESCO, a organização tem privilegiado o engajamento cívico dos jovens como meio de empoderamento e de prevenção da violência, associando-os à “Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável”, de modo a reforçar as medidas contra o uso excessivo do álcool.
A UNESCO refere que tem igualmente desenvolvido acções de capacitação, de modo a ajudar os jovens à inovação, mudança social e participação plena para o progresso da sociedade, bem como contribuir para a erradicação da pobreza, desigualdade e promoção da cultura de paz.
Para a UNESCO, o uso abusivo de álcool no país tem comprometido o futuro de adolescentes e jovens , tornando-se num problema que requer a atenção do Estado.
A palestra visa sensibilizar e consciencializar os adolescentes, jovens e sociedade em geral sobre os danos à saúde mental pelo uso excessivo de bebidas alcoólicas.O CNJ e a UNESCO querem contribuir na moralização dos adolescentes e jovens para uma vida activa e proactiva baseada em valores cívicos e éticos.
A data de 12 de Agosto, como Dia Internacional da Juventude, começou a ser comemorada em 1998, depois da Conferência Internacional de Ministros responsáveis da Juventude, realizada em Portugal.
A ONU define como jovens indivíduos com idade compreendida entre 15 e 24 anos, que representam 18 por cento da população global, ou seja, 1.2 mil milhões de pessoas, dos quais 87 por cento vivem em países em desenvolvimento, que enfrentam desafios no acesso limitado à Educação, Saúde e mercado de trabalho.
O Governo de Angola define os jovens como indivíduos com idade compreendida entre 15 e 35 anos, em conformidade com a Carta Africana da Juventude, da qual o país faz parte.

JA

Tags
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button