Sociedade

Covid-19: Distribuição de água atinge 132 mil metros cúbicos

Luanda - Pelo menos 132 mil metros cúbicos, correspondendo a 132 milhões de litros de água, foram distribuídos de 28 de Março até 24 de Abril, de forma gratuita, às famílias que vivem em zonas sem rede de distribuição a nível do país, no pelo Ministério da Energia e Águas.

Dessa quantidade de água, distribuída no âmbito do plano de contingência do Ministério para combater a Covid-19, Luanda beneficiou de 47 mil metros cúbicos, por ser o maior aglomerado populacional do país com mais de oito milhões de habitantes.

Na sexta-feira, sob presidência do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, o Núcleo de Gestão de Distribuição de Água às Comunidades, com sede na Multiparques em Viana, decidiu aumentar o volume de água a fornecer às zonas mais carenciadas nesta terceira fase do Estado de Emergência.

Para melhorar a eficiência do programa, foram adquiridos reservatórios com capacidade de cinco mil litros que serão instalados em vários bairros nos seus pontos de atendimento de água por via das cisternas, o que permitirá aumentar o número de viagens por camionistas.

No quadro de acções em torno da reactivação do fornecimento do “precioso líquido” por via da rede pública, o destaque recai para os bairros Zona Verde 1 e Km 9 B, em Viana, onde se desenvolvem intensos trabalhos que poderão culminar com resultados positivos ainda este ano.

Identificadas estão de igual modo soluções para abastecimento regular de água às Centralidades do Kilamba e Sequele, cujos acessórios estão em vias de aquisição, podendo também neste ano se inverter o quadro naquelas centralidades.

Em resposta a solicitação do Ministério da Educação, o Ministro Baptista Borges, orienta o seu elenco a proceder brevemente ao levantamento do número de Escolas fora da cobertura da rede de luz e água, para que de acordo a especificidade de cada uma se encontrar soluções adequadas para o seu atendimento uma acção que deverá começar por Luanda.

Além dos bairros, essa água tem garantido também o normal funcionamento de hospitais, centros de saúde, morgues, estabelecimentos prisionais, centros de quarentena e bairros desprovidos de rede.

Na reunião, o ministro João Baptista Borges reiterou a necessidade da população redobrar vigilância aos actores envolvidos no programa, denunciando toda é qualquer infracção no processo de entrega de água.

No quadro desse programa, desde segunda-feira que o Ministério melhorou a distribuição gratuita de água potável às populações de zonas desprovidas de rede pública nas localidades do Cabo Ledo, Icolo e Bengo, Capalanca, Estalagem, Mayé Mayé, Sossego, Morro Bento, Mundial, Sapú, Grafanil e demais zonas da cidade capital.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Jovem Empreendedor , Sonhador , Estudante Do Curso de Técnico De Informática, Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button