Sociedade

Governo de Luanda inicia processo de remoção da grua do Prenda

Luanda - O governo provincial de Luanda (GPL) iniciou hoje o processo para desmontagem da grua instalada há mais de 40 anos nos arredores dos lotes do Prenda, no distrito urbano da Maianga.

A empreitada está a cargo da empresa nacional “Obra-prima e Manutenções”, que nesta sexta-feira começou a demolir as primeiras residências, das oito previstas, de modo a abrir espaços, com vista a possibilitar a montagem de dois guindastes que vão suportar a desmontagem da grua obsoleta.

Para facilitar o trabalho, o GPL disponibilizou às famílias afectadas 120 mil kwanzas cada, para provisoriamente arrendarem casas, enquanto durar a empreitada.

Após o término da empreitada (com duração de um mês), de acordo com o governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova, serão criadas condições para as pessoas desalojadas voltarem para o mesmo espaço, caso não haja outra solução.

A empreitada, que inclui desalojamento, realojamento, movimentação de meios técnicos e outras tarefas, está orçada em aproximadamente 50 milhões de kwanzas.

Na ocasião, elogiou a participação activa da comissão de moradores no processo negocial frutífero com os moradores da zona onde está instalada a grua.

Por seu turno, o presidente da comissão de moradores do sector seis, Nelson Borges, mostrou-se satisfeito pela iniciativa do GPL em remover a grua agora, quando todas as atenções estão voltadas para o Estado de Emergência, devido à pandemia da Covid-19.

Já o responsável da empreitada, Fernando Júnior disse que hoje começaram com a demolição das residências, para poderem estabilizar as duas gruas, uma de 120 toneladas (para suportar o contra peso) e outra de 80 (para sustentar a contra lança) que vão ajudar na desmontagem da antiga, um processo que precisou vai durar 10 dias e prevê um dia para retirar a estrutura velha.

A grua com cerca de 100 metros de altura tem um peso superior a duas toneladas.

Mais de 40 casas, entre definitivas e casebres, foram construídas, ao longo dos anos, ao redor do guindaste.

A 07 de Junho de 2018, o guindaste movimentou-se devido aos fortes ventos que atingiram velocidades superiores a 30 quilómetros/ hora.

Para evitar danos maiores ou mesmo até vítimas humanas, foi criada uma comissão técnica, integrada por quadros do Governo Provincial de Luanda (GPL), do distrito da Maianga, da CACL e do Laboratório de Engenharia de Angola (LEA), com o propósito de apresentar uma solução técnica para a retirada do guindaste.

Tags
Mostrar Mais

Bernardo Seculo

Jovem Empreendedor , Sonhador , Estudante Do Curso de Técnico De Informática, Escritor e Editor de Noticias no site Angola Nossa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button